sicnot

Perfil

Mundo

Trump pondera usar a Guarda Nacional para deter imigrantes

© Carlos Barria / Reuters

A administração Trump está a considerar a possibilidade de mobilizar até 100 mil militares da Guarda Nacional para apanhar imigrantes ilegais, incluindo milhões que vivem longe da fronteira com o México, segundo um memorando provisório revelado pela Associated Press.

De acordo com a agência de notícias norte-americana, o documento de 11 páginas prevê um reforço de militares no combate à imigração ilegal, desde Portland (no Estado do Oregon) até Nova Orleães, no Louisiana.

Quatro Estados que fazem fronteira com o México estão incluídos na proposta - Califórnia, Arizona, Novo México e Texas - mas também afeta sete Estados contíguos a esses - Oregon, Nevada, Utah, Colorado, Oklahoma, Arkansas e Louisiana - que não constituem fronteira externa.

O porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, disse que a notícia da AP sobre o memorando é "100% não certa" e "irresponsável".

"Não há qualquer esforço, de todo, para utilizar a Guarda Nacional para apanhar imigrantes não autorizados", disse.

Os governadores desses 11 Estados teriam a possibilidade de contribuir com os militares da Guarda Nacional do estado em questão, indica o memorando, escrito pelo Secretário da Segurança Nacional dos Estados Unidos, John Kelly, um general de quatro estrelas dos Marines (fuzileiros navais) na reserva.

Efetivos da Guarda Nacional já foram utilizados antes em missões anti-imigração ilegal na fronteira com o México.

No entanto, nunca foram usados de forma tão abrangente nem tanto a norte como prevê o memorando

.O uso de tropas da Guarda Nacional nestas funções alargaria grandemente o número de imigrantes visados pela administração Trump na ordem executiva do mês passado, que já alargava a definição de quem pode ser considerado criminoso e, portanto, um alvo potencial para deportação.

O memorando - que faz referência a medidas de Trump como a contratação de mais 5 mil guardas fronteiriços ou a construção de um muro na fronteira com o México - especifica que os militares da Guarda Nacional terão como missão apenas o controlo da imigração, e não como um acrescento às forças policiais locais.

As tropas serão autorizadas "a realizar as funções de agente de imigração no que diz respeito à investigação, apreensão e detenção de estrangeiros nos Estados Unidos" e salienta que estes militares serão autorizados a conduzir buscas e a identificar e deter quaisquer imigrantes não autorizados.

Nunca antes a Guarda Nacional foi autorizada para operar em Estados não fronteiriços desta forma.

No entanto, as tropas da Guarda não seriam nacionalizadas, ficando à mesma sob controlo de cada um dos Estados.Quase metade dos 11,1 milhões de pessoas que residem nos Estados Unidos sem autorização vivem nos 11 Estados visados pelo memorando, de acordo com o Centro de Investigação Pew, que se baseia no censo de 2014.O documento tem a data de 25 de janeiro, mesmo dia em que Trump assinou a polémica ordem executiva sobre imigração e o controlo fronteiriço.

Este tipo de memorandos são muitas vezes feitos como suplementos às próprias ordens executivas.

Lusa

  • "Tempestade de fogo" ameaça habitações em Aldeia Galega
    2:41
  • Pedrógão e o Governo das culpas dos outros

    Opinião

    Depois das revelações do ‘Expresso’ e do ‘i’, o primeiro-ministro e os ministros saíram à rua com uma estratégia muito bem definida: desmentir a existência de listas secretas e centrar as atenções no Ministério Público. Ao mesmo tempo, nas redes sociais, está em curso (mais) uma campanha contra os jornalistas. Os anónimos, com cartão de militante, que escrevem nessas páginas acusam os jornais das “mais rebuscadas teorias da conspiração”. Nada de novo portanto.

    Bernardo Ferrão

  • "Se alguém tem conhecimento de mais vítimas deve comunicar de imediato à PJ e ao MP"
    0:48
  • Milhares de clientes da CGD vão pagar quase 5€/ mês por comissões de conta
    1:24
  • Como fugir às comissões bancárias
    7:24

    Contas Poupança

    Há muitos casos em que ter uma conta no banco está a dar prejuízo. Os juros são tão baixos e as comissões de manutenção de conta são tão altas que há portugueses que todos os meses perdem dinheiro apenas porque têm dinheiro no banco. O Contas Poupança foi à procura de alternativas.

  • Governo reconhece seca severa no continente desde 30 de junho

    País

    O Governo reconheceu, hoje, a existência de uma situação de seca severa no território continental, desde 30 de junho, que consubstancia um fenómeno climático adverso, com repercussões negativas na atividade agrícola, em despacho publicado hoje em Diário da República.

  • Produtores de maçã de Armamar dizem não ter recebido resposta do Ministério
    2:14

    País

    Os produtores de maçã de Armamar estão preocupados. Parte da produção foi destruída pelo mau tempo. Contudo, duas semanas depois, ainda não há resposta do Ministério da Agricultura aos pedidos de ajuda. Mais de 60 produtores com 800 hectares foram afetados e as árvores atingidas pelo granizo podem não conseguir produzir no próximo ano.

  • Bebé Charlie Grad já não vai receber tratamento nos EUA

    Mundo

    A mãe de Charlie Grad disse esta segunda-feira que o bebé poderia ter vivido uma vida normal, caso tivesse começado a receber tratamento cedo. Já o pai admitiu que o filho não iria viver até ao primeiro aniversário. O bebé foi diagnosticado com uma doença rara e um hospital em Inglaterra pediu permissão para desligar a ventilação artificial e fornecer-lhe cuidados paliativos. O Tribunal Europeu dos Direitos Humanos aceitou e, até hoje, os pais travaram uma batalha na Justiça para suspender a decisão na esperança de irem tratar o filho nos Estados Unidos da América.

  • Número de mortos em atentado em Cabul sobe para 31

    Mundo

    O número de mortos no atentado com um carro armadilhado atribuído aos talibãs, esta segunda-feira de manhã em Cabul, subiu para 31, aos quais se somam cerca de 40 feridos, de acordo com um novo balanço das autoridades.

  • Pelo menos cinco feridos em ataque na cidade suíça de Schaffhausen

    Mundo

    Pelo menos cinco pessoas ficaram hoje feridas na sequência de um ataque, na cidade suíça de Schaffhausen. De acordo com as autoridades, as vítimas foram atacadas por um homem armado com uma motosserra, que está a ser procurado pela polícia. As autoridades descartaram a hipótese de "ato terrorista".

  • Oposição pressiona Maduro com anúncio de manifestações e greve geral
    1:34