Mundo

Mais de 300 candidatos ao Prémio Nobel da Paz 2017

Um número quase recorde de 318 indivíduos e organizações foram propostos para o Nobel da Paz 2017, indicou esta quinta-feira o Instituto Nobel, uma lista heteróclita que inclui os "capacetes brancos" sírios, Donald Trump ou ainda Jacques Chirac.

A identidade dos candidatos é em princípio mantida secreta, mas os seus patrocinadores -- deputados e ministros de todos os países, antigos laureados, diversos professores universitários -- podem anunciar publicamente o nome do proposto, sob a reserva de que o seu dossiê seja aceite pelo comité.

Os "capacetes brancos" sírios, o 'blogger' saudita detido Raef Badaoui e o norte-americano Edward Snowden, que revelou a amplitude da vigilância eletrónica pela Agência Nacional de Segurança (NSA), dos Estados Unidos, também foram propostos.

O mesmo sucede para o novo Presidente norte-americano Donald Trump, apoiado por um compatriota com identidade ainda desconhecida, mas que pretende ver reconhecida a sua "ideologia de paz pela força".

A União Americana para as Liberdades Civis (ACLU), crítica de certas medidas adotadas pelo novo ocupante da Casa Branca, também é citada.

Na lista estão ainda incluídos o papa Francisco, proposto por um deputado norueguês por ser "um dos raros a desafiar Donald Trump", o Presidente russo Vladimir Putin ou o ex-Presidente francês Jacques Chirac.

O Instituto Nobel precisou que as candidaturas se distribuem entre 215 indivíduos e 103 organizações, o número mais elevado da história mais que centenária do prémio, após 2016, quando 376 candidaturas foram registadas.

O comité Nobel deverá anunciar a sua escolha em 06 de outubro.

Em 2016 o Nobel foi atribuído ao Presidente colombiano Juan Manuel Santos, pelos seus esforços de paz num país assolado por um conflito com mais de meio século.

Lusa

  • "O Mal Entendido: as doenças a que chamamos cancro" - capítulo 4: Os maratonistas
    33:52
  • O verdadeiro alarme e ameaça à segurança interna está no roubo das pistolas
    0:50

    Assalto em Tancos

    O general Leonel de Carvalho associa o roubo em Tancos ao desaparecimento de 57 armas da PSP de Lisboa, em fevereiro do ano passado. O antigo secretário geral do Gabinete coordenador de Segurança considera ainda que o verdadeiro alarme e ameaça à segurança interna está no roubo dessas pistolas e não no alegado desaparecimento de algumas granadas e outro material explosivo de pouca capacidade.

  • "Aquilo parecia um filme de terror"
    1:40

    Crise no Sporting

    Jorge Jesus abordou os incidentes de Alcochete pela primeira vez. Em entrevista à Bola TV, o treinador português, agora no Al Hilal da Arábia Saudita, falou do medo que viveu naqueles momentos. Jorge Jesus disse também que não fecha a porta a nenhum clube em Portugal.

  • Benfica promete queixa-crime contra quem divulgou contratos de Castillo e Ferreyra
    1:26

    Desporto

    Um blog divulgou na internet os valores dos contratos de dois dos reforços do Benfica, Castillo e Ferreyra. O clube da Luz promete agir judicialmente contra quem divulgou estas informações. A SIC sabe que devido à gravidade dos factos a Liga de Clubes está a considerar suspender os funcionários da instituição até que este caso seja esclarecido.

  • Santana diz que a concorrência é livre
    0:52
  • Donald Trump envolvido em mais uma polémica
    1:49
  • 20 quilómetros até ao trabalho valeu um carro

    Mundo

    Quando o carro de Walter Carr deixou de funcionar um dia antes do primeiro dia de trabalho numa empresa de mudanças, ele não desistiu nem ligou a dizer que ia faltar. Saiu de casa à meia-noite e fez mais de 20 quilómetros a pé para chegar a horas. No final recebeu uma recompensa.

    SIC