sicnot

Perfil

Mundo

EUA vão enviar 400 soldados suplementares para a Síria

Os Estados Unidos vão enviar 400 soldados suplementares para a Síria para apoiar a ofensiva contra Raqa (centro-norte), reduto do grupo extremista Estado Islâmico (EI) no território sírio, indicou um porta-voz militar americano.

"São forças temporárias", indicou um porta-voz militar americano em Bagdad (Iraque), o coronel John Dorrian, confirmando informações avançadas pelo jornal The New York Times.O mesmo representante acrescentou que as forças americanas destacadas a longo termo na Síria mantêm-se no nível previsto, ou seja, 500 elementos.

Os extremistas do EI estão a enfrentar ofensivas simultâneas no norte da Síria conduzidas pelas forças governamentais, pelos rebeldes sírios apoiados pela Turquia e por uma aliança de combatentes árabes e curdos apoiada pelos Estados Unidos.

Desde outubro de 2015, soldados americanos das forças especiais estão na Síria para aconselhar e treinar forças locais que combatem contra os 'jihadistas', nomeadamente a aliança árabe-curda das forças democráticas sírias.Entre estas quatro centenas de militares suplementares encontram-se fuzileiros e soldados das forças especiais.

A nova administração do Presidente Donald Trump está avaliar um plano para vencer os 'jihadistas'.Segundo a imprensa americana, o plano deverá propor o envio de artilharia, mas também forças especiais adicionais e helicópteros de ataque.Entre 3.000 a 4.000 'jihadistas' encontram-se entrincheirados em Raqa, cidade com cerca de 300.000 habitantes, de acordo com fontes militares americanas.Também relacionado com as forças americanas destacadas no exterior, o chefe das tropas americanas no Médio Oriente, o general Joseph Votel, pronunciou-se hoje favoravelmente no Congresso por um reforço da presença militar dos Estados Unidos no Afeganistão, o que representaria a inversão da estratégia de decréscimo adotada nos últimos anos.

Questionado sobre medidas para ajudar o governo afegão a recuperar vantagem sobre os rebeldes talibãs, o general considerou que "isso implica forças [Notes:americanas] suplementares para que a missão de aconselhamento e de assistência seja mais eficaz".

No início de fevereiro, o comandante das forças americanas no Afeganistão, o general John Nicholson, já tinha apelado a um reforço das tropas da NATO naquele país, mencionando o "impasse" em que se encontram as forças afegãs face aos talibãs.As posições de Donald Trump sobre o Afeganistão não são conhecidas.

O novo Presidente norte-americano pouco falou sobre esta matéria durante a campanha eleitoral.O antecessor Barack Obama prometeu retirar as tropas americanas do Afeganistão, mas não conseguiu manter a sua promessa por causa do ressurgimento dos talibãs.

Lusa

  • Sismo de magnitude 4,0 provoca um morto em Nápoles

    Mundo

    Um sismo de magnitude 4,0 na escala de Richter atingiu esta segunda-feira a ilha de Ísquia no golfo de Nápoles, no mar Tirreno, no sul de Itália. De acordo com o jornal La Stampa uma mulher terá morrido e dois feridos estarão em perigo de vida.

  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.