sicnot

Perfil

Mundo

Polónia acusa UE de "fazer batota" na reeleição de Donald Tusk

A Polónia, que perdeu uma campanha diplomática para derrubar Donald Tusk da presidência do Conselho Europeu, acusa agora a União Europeia (UE) de "fazer batota" e anunciou uma política "negativa" em relação a Bruxelas.

"Parece que a política da UE tem padrões duplos e faz batota", declarou o ministro dos Negócios Estrangeiros polaco, Witold Waszczykowski, ao semanário Super Express.

Waszczykowski referia-se à última cimeira de líderes da UE, em Bruxelas, onde a Polónia apresentou o seu voto contra a reeleição de Tusk.

O governo polaco de extrema-direita e eurocético, fez uma campanha dura contra o centrista Donald Tusk, de 59 anos, que foi primeiro-ministro de 2007 a 2014, e esteve no topo da UE desde essa altura.

No entanto, 27 líderes europeus votaram a favor de um novo mandato de dois anos e meio, e apenas a primeira-ministra polaca, Beata Szydlo, votou contra, apresentado como candidato alternativo o eurodeputado Jacek Saryusz-Wolski.

Na entrevista ao jornal, Waszczykowski disse: "Vamos adaptar as políticas e comportamento relacionados com a UE, e teremos de baixar o nosso nível de confiança. Vamos passar a seguir uma política negativa", que poderá passar por "bloquear" iniciativas europeias.

A Hungria, que inicialmente se tinha aliado à Polónia a favor de um candidato alternativo a Tusk, acabou por votar com a maioria.

Lusa

  • Tragédia de Pedrógão Grande, seis meses depois

    País

    O incêndio que deflagrou há seis meses no concelho de Pedrógão Grande e que alastrou a concelhos vizinhos fez 66 mortos e 253 feridos, sete dos quais graves, destruiu meio milhar de casas e quase 50 empresas. Quarenta e sete das vítimas mortais seguiam em viaturas, no dia 17 de junho, e ficaram cercadas pelas chamas na EN (estrada nacional) 236-1, entre Castanheira de Pera e Figueiró dos Vinhos ou em acessos a esta via.

  • "O que é isto, mamã?"
    36:23
  • O ensino à distância em Portugal
    4:12

    País

    Em Portugal, o ensino básico e secundário à distância já conta com 300 alunos e com a preciosa ajuda das novas tecnologias. É através do computador que a escola viaja e acompanha os alunos, alguns com doenças que não os permitem ir às aulas, outros que são atletas de alta competição e que têm a maior parte do tempo ocupado por treinos ou ainda os que fazem parte de famílias itenerantes, como é o caso dos que vivem no circo e andam de terra em terra.

  • Aprender a jogar badminton ao ritmo do samba
    2:54

    Mundo

    No Brasil, a correspondente da SIC foi conhecer um projeto social no Rio de Janeiro que mistura samba e desporto. Um desporto que ainda é pouco praticado mas que tem sido fundamental para transformar a vida de jovens das favelas e para descobrir novos talentos do badminton brasileiro.

    Correspondente SIC