sicnot

Perfil

Mundo

Ministro alemão quer cortar financiamento estatal a partido de extrema-direita

© Fabrizio Bensch / Reuters

O ministro da Justiça da Alemanha afirmou hoje querer estudar formas de cortar o financiamento estatal a um partido de extrema-direita nos próximos meses.

Em janeiro, o tribunal supremo da Alemanha decidiu que o Partido Nacional Democrático (NPD) era demasiado insignificante politicamente para justificar ser proibido, mas disse que os seus objetivos contrariam a Constituição alemã.

A câmara alta do parlamento, que pediu a proibição do partido, lançou na semana passada uma iniciativa para cortar o financiamento estatal aos partidos anticonstitucionais.

Hoje, o ministro da Justiça, Heiko Maas, disse ao grupo de media Funke que se deve "examinar muito cuidadosamente as possibilidades" de retirar financiamento ao NPD, considerando que esse objetivo pode ser alcançado neste mandato, que termina com as eleições previstas para setembro.

Maas disse que o "dinheiro dos impostos entregue ao NPD é um investimento direto estatal na agitação radical de direita".

Lusa

  • Manuel Delgado demitiu-se devido a "grave violação da privacidade"

    País

    O ex-secretário de Estado da Saúde diz que apresentou a demissão para "não perturbar nem criar qualquer tipo de embaraço ao normal funcionamento do Governo". Num comunicado, Manuel Delgado esclarece que foi remunerado pelo trabalho de consultor na Raríssimas "muito antes" da entrada no Governo e acrescenta que respeitou na íntegra todo o quadro legal e ético.

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Uma "Árvore da Esperança" pelas vítimas dos fogos
    2:01
  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28