sicnot

Perfil

Mundo

Penguin Random House compra os direitos globais dos livros de Michelle e Barack Obama

A Penguin Random House anunciou hoje em comunicado que adquiriu os direitos de publicação, a nível mundial, nas diferentes línguas, dos livros a editar, de autoria do ex-Presidente norte-americano, Barack Obama, e da mulher, Michelle. A Penguin Random House Grupo Editorial publicará os livros em Portugal, Espanha, Argentina, Chile, Colômbia, México, Peru e Uruguai, nas línguas espanhola, portuguesa e catalã, havendo também "uma edição especial em espanhol para os Estados Unidos, publicada pela Penguin Random House", lê-se no mesmo comunicado. No Brasil, os livros serão publicados pela Companhia das Letras.

"A Companhia das Letras é guiada por dois valores fundamentais: promover uma ampla perspetiva e dar voz à diversidade da experiência humana. Publicando os livros do Presidente Barack Obama e de Michelle Obama será uma honra e uma missão num mundo e num país que precisam de mensagens mais esclarecedoras. Nós asseguramos, com um verdadeiro sentido de dever, de que cheguem ao maior número possível de pessoas brasileiras", escreve no comunicado o editor Luiz Schwarcz, da Companhia das Letras.


"Além dos Estados Unidos e do Canadá, onde os livros serão publicados pela Crown", na versão original, "entre os países onde a Penguin Random House publicará as edições em língua inglesa, encontram-se [o] Reino Unido, Austrália, Índia, Nova Zelândia e África do Sul, através da editora britânica Viking", que faz parte do grupo.


A filial da Penguin Random House na Alemanha, Verlagsgruppe Random House, propriedade da Bertelsmann, dirigida por Markus Dohle, publicará ambos os livros em alemão, em coordenação total com a Penguin Random House.


"Todas as operações da companhia a nível mundial uniram esforços para publicar os próximos livros do Presidente Barack Obama e da ex-primeira dama Michelle Obama", afirmou o presidente executivo da Penguin Random House, Markus Dohle. O valor financeiro deste acordo não foi divulgado, mas a agência noticiosa AP refere que atingiu "dezenas de milhões de dólares" norte-americanos.


"Considerando a missão da Fundação Obama e o próprio compromisso da Penguin Random House com a responsabilidade social, a companhia doará um milhão de livros, em nome da família Obama, à First Book, uma associação sem fins lucrativos, parceira de longa data da Penguin Random House e da iniciativa da educação digital da Casa Branca 2016, Open eBooks, sediada em Washington", lê-se no mesmo documento.


A First Books dedica-se à promoção da igualdade de acesso à educação, providenciando livros, material escolar e outros bens essenciais a crianças necessitadas, nos Estados Unidos e Canadá, segundo a mesma fonte. "Em consonância com as políticas anteriores, os Obama também planeiam doar uma parte significativa dos seus lucros a organizações de solidariedade, incluindo a Fundação Obama".


"As equipas da Penguin Random House em todo o mundo são compostas pelos editores mais respeitados e considerados da indústria e, juntos, esperamos contar com o nosso profundo conhecimento editorial, experiência e alcance para providenciar ao Presidente Obama e sua mulher uma plataforma e audiência globais para os seus livros", afirma no mesmo comunicado Markus Dohle.


O presidente executivo da Penguin Random House do Reino Unido, Tom Weldon, salienta, por seu turno, o "orgulho" em vir a publicar os livros do casal Obama e declara: "Sabemos que os livros dos Obama serão tanto obras magníficas como inspiradoras, chamadas para a ação".
A diretora executiva da Penguin Random House Grupo Editorial, Núria Cabuti, afirma também o "orgulho" em publicar os futuros livros de Barack e Michelle Obama, e sublinha: "Esperamos ajudar a difundir as mensagens dos Obama a todas as pessoas que falam espanhol e português".

Lusa

  • Aeroporto Cristiano Ronaldo? Nem todos os madeirenses estão de acordo
    2:21
  • Hotel inovador na Madeira
    2:23

    Economia

    O grupo Pestana está a construir no Funchal, um novo e único hotel, através de uma técnica inovadora que quase não utiliza cimento. Este vai ser o primeiro hotel do mundo construído com um sistema modular desenvolvido em Portugal. O hotel vai ter 77 quartos e vai ficar construído em apenas seis meses. O maior grupo hoteleiro português admite recorrer a este novo sistema em futuros hotéis.

  • Fatura da água a dobrar
    2:26

    Economia

    Desde o início do ano que a população de Celorico de Basto está a receber duas faturas da água para pagar. Tanto a Câmara como a Águas do Norte reclamam o direito a cobrar pelo serviço. Contactada pela SIC, a Entidade Reguladora esclarece que o município não pode emitir faturas e tem de devolver o dinheiro.

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43

    Daesh

    Há suspeitas de que o Daesh tenha criado uma vala comum com cerca de seis mil corpos a sul de Mossul, no Iraque. A área em redor estará minada. A revelação é de uma equipa de reportagem da televisão britânica Sky News.

  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.