sicnot

Perfil

Mundo

Penguin Random House compra os direitos globais dos livros de Michelle e Barack Obama

A Penguin Random House anunciou hoje em comunicado que adquiriu os direitos de publicação, a nível mundial, nas diferentes línguas, dos livros a editar, de autoria do ex-Presidente norte-americano, Barack Obama, e da mulher, Michelle. A Penguin Random House Grupo Editorial publicará os livros em Portugal, Espanha, Argentina, Chile, Colômbia, México, Peru e Uruguai, nas línguas espanhola, portuguesa e catalã, havendo também "uma edição especial em espanhol para os Estados Unidos, publicada pela Penguin Random House", lê-se no mesmo comunicado. No Brasil, os livros serão publicados pela Companhia das Letras.

"A Companhia das Letras é guiada por dois valores fundamentais: promover uma ampla perspetiva e dar voz à diversidade da experiência humana. Publicando os livros do Presidente Barack Obama e de Michelle Obama será uma honra e uma missão num mundo e num país que precisam de mensagens mais esclarecedoras. Nós asseguramos, com um verdadeiro sentido de dever, de que cheguem ao maior número possível de pessoas brasileiras", escreve no comunicado o editor Luiz Schwarcz, da Companhia das Letras.


"Além dos Estados Unidos e do Canadá, onde os livros serão publicados pela Crown", na versão original, "entre os países onde a Penguin Random House publicará as edições em língua inglesa, encontram-se [o] Reino Unido, Austrália, Índia, Nova Zelândia e África do Sul, através da editora britânica Viking", que faz parte do grupo.


A filial da Penguin Random House na Alemanha, Verlagsgruppe Random House, propriedade da Bertelsmann, dirigida por Markus Dohle, publicará ambos os livros em alemão, em coordenação total com a Penguin Random House.


"Todas as operações da companhia a nível mundial uniram esforços para publicar os próximos livros do Presidente Barack Obama e da ex-primeira dama Michelle Obama", afirmou o presidente executivo da Penguin Random House, Markus Dohle. O valor financeiro deste acordo não foi divulgado, mas a agência noticiosa AP refere que atingiu "dezenas de milhões de dólares" norte-americanos.


"Considerando a missão da Fundação Obama e o próprio compromisso da Penguin Random House com a responsabilidade social, a companhia doará um milhão de livros, em nome da família Obama, à First Book, uma associação sem fins lucrativos, parceira de longa data da Penguin Random House e da iniciativa da educação digital da Casa Branca 2016, Open eBooks, sediada em Washington", lê-se no mesmo documento.


A First Books dedica-se à promoção da igualdade de acesso à educação, providenciando livros, material escolar e outros bens essenciais a crianças necessitadas, nos Estados Unidos e Canadá, segundo a mesma fonte. "Em consonância com as políticas anteriores, os Obama também planeiam doar uma parte significativa dos seus lucros a organizações de solidariedade, incluindo a Fundação Obama".


"As equipas da Penguin Random House em todo o mundo são compostas pelos editores mais respeitados e considerados da indústria e, juntos, esperamos contar com o nosso profundo conhecimento editorial, experiência e alcance para providenciar ao Presidente Obama e sua mulher uma plataforma e audiência globais para os seus livros", afirma no mesmo comunicado Markus Dohle.


O presidente executivo da Penguin Random House do Reino Unido, Tom Weldon, salienta, por seu turno, o "orgulho" em vir a publicar os livros do casal Obama e declara: "Sabemos que os livros dos Obama serão tanto obras magníficas como inspiradoras, chamadas para a ação".
A diretora executiva da Penguin Random House Grupo Editorial, Núria Cabuti, afirma também o "orgulho" em publicar os futuros livros de Barack e Michelle Obama, e sublinha: "Esperamos ajudar a difundir as mensagens dos Obama a todas as pessoas que falam espanhol e português".

Lusa

  • Tragédia de Pedrógão Grande, seis meses depois

    País

    O incêndio que deflagrou há seis meses no concelho de Pedrógão Grande e que alastrou a concelhos vizinhos fez 66 mortos e 253 feridos, sete dos quais graves, destruiu meio milhar de casas e quase 50 empresas. Quarenta e sete das vítimas mortais seguiam em viaturas, no dia 17 de junho, e ficaram cercadas pelas chamas na EN (estrada nacional) 236-1, entre Castanheira de Pera e Figueiró dos Vinhos ou em acessos a esta via.

  • "O que é isto, mamã?"
    36:23
  • O ensino à distância em Portugal
    4:12

    País

    Em Portugal, o ensino básico e secundário à distância já conta com 300 alunos e com a preciosa ajuda das novas tecnologias. É através do computador que a escola viaja e acompanha os alunos, alguns com doenças que não os permitem ir às aulas, outros que são atletas de alta competição e que têm a maior parte do tempo ocupado por treinos ou ainda os que fazem parte de famílias itenerantes, como é o caso dos que vivem no circo e andam de terra em terra.

  • Aprender a jogar badminton ao ritmo do samba
    2:54

    Mundo

    No Brasil, a correspondente da SIC foi conhecer um projeto social no Rio de Janeiro que mistura samba e desporto. Um desporto que ainda é pouco praticado mas que tem sido fundamental para transformar a vida de jovens das favelas e para descobrir novos talentos do badminton brasileiro.

    Correspondente SIC