sicnot

Perfil

Mundo

Porque tantas pessoas assumiram que a mãe asiática era a ama?

Rita Ferro

Jornalista

Um professor caucasiano estava a ser entrevistado pela BBC sobre as relações entre a Coreia do Norte e do Sul quando os dois filhos entraram na sala seguidos de uma mulher asiática que tentou salvar a situação. Todos pensaram que era a ama.

É possível que já tenha visto este vídeo que se tornou viral na semana passada. No Twitter e no Facebook, imediatamente começaram a chover criticas porque a "ama" parecia assustada e temer, depois do episódio, pelo seu posto de trabalho.

Um artigo de Time.com chegou a chamá-la de "ama frenética" e um tablóide britânico de "ama horrorizada". O mundo pensou que a mulher no vídeo era a ama e afinal é Jung-a Kim, coreana, mulher do professor e mãe das crianças em questão.

A dúvida, ou preconceito, é fácil de explicar mas, para muitos, inaceitável nos tempos de hoje. Parece existir um estereótipo em que as mulheres asiáticas [e africanas] são vistas como subservientes, obedientes a algum tipo de poder.

A história não é nova. Uma mulher negra chegou a escrever um artigo a falar sobre o que sentia quando levava as filhas ao parque e lhe perguntavam "há quanto tempo trabalha para a família?"

Há alguns anos atrás, Nicole Blades escreveu um artigo para o já extinto site xoJane artigo intitulado "Não! Eu não sou a ama, sou apenas uma mãe negra, obrigada." No texto incentivava os leitores de famílias mestiças a usar o hashtag #notthenanny para alertar para o preconceito. Hashtag que voltou a ser recordado e utilizado agora nas reações ao vídeo da BBC.

Depois do episódio, o pivô da NBC pediu autorização a Robert E. Kelly no Twitter para publicar o momento.

O que isso significaria? Voltar a passá-lo na BBC TV, ou apenas aqui no Twitter? Este tipo de coisa é daquelas que vai 'viral' e se torna estranho?

Mal sabia o professor que este vídeo iria correr o mundo e causar tanta discussão.

  • Espanha e Portugal a um ponto dos oitavos

    Mundial 2018 / Irão

    A Espanha colocou-se esta quarta-feira a um ponto dos oitavos de final do Mundial 2018 e deixou Portugal em situação idêntica, ao vencer o Irão por 1-0, em jogo do grupo B, disputado em Kazan.

  • E vão quatro de Ronaldo
    1:58
  • "Ronaldos nascem na Rússia como cogumelos"
    1:49
  • Lançamento de balões no São João do Porto em risco

    País

    Lançar balões nas festas do São João do Porto pode não ser possível este ano, tudo irá depender das condições atmosféricas. A Secretaria de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural admitiu, esta quarta-feira, que está a acompanhar a situação mas que ainda nada está decidido.