sicnot

Perfil

Mundo

Fabricante de vibrador paga milhões a utilizadores

WE-VIBE

O fabricante de um brinquedo sexual "inteligente" vai pagar vários milhões de dólares aos utilizadores, porque os dados pessoais foram armazenados sem o seu consentimento.

O grupo canadiano Standard Innovation, que projetou o vibrador eletrónico denominado "We-Vibe", concordou em pagar 3,75 milhões de dólares (cerca de 3,48 milhões de euros) em danos, até 10.000 dólares (cerca de 9,4 mil euros) por utilizador, cujos dados foram armazenados, referem documentos judiciais apresentados num tribunal norte-americano.

As pessoas que apresentaram a queixa, o ano passado em Chicago, consideram que a empresa "recolheu dados íntimos e sensíveis" através do vibrador com Bluetooth, carregando-os em servidores no Canadá.

A queixa foi apresentada depois de especialistas em segurança cibernética terem revelado falhas na aplicação do vibrador, permitindo o acesso a dados privados e o controlo do aparelho.

Em causa, segundo os clientes, estão os "direitos do consumidor" e a violação de várias leis.

A empresa afirmou, em comunicado, estar "satisfeita por ter chegado a um acordo razoável e justo", sublinhando que reforçou a segurança da aplicação, em setembro.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras