sicnot

Perfil

Mundo

Polícia vira "herói" em Hong Kong

Polícia de Hong Kong

Um polícia de Hong Kong, de 20 anos, foi catapultado para a fama depois que conversar com um paquistanês que se tentava suicidar em urdu fluente.

O homem tinha subido a um guindaste de 20 metros de altura e a polícia foi chamada para a cena.

O polícia, Ifzal Zaffar, de descendência paquistanesa, também subiu e dirigiu-se a ele na sua língua comum, urdu, de origem indo-europeia. Por fim, o homem concordou descer e foi levado para o hospital.

O agente Zaffer, que também fala fluentemente cantonês, disse que estava simplesmente a seguir o seu treino.

"Eu usei as técnicas que aprendemos na academia. Acho que se sentiu mais seguro sabendo que eu poderia falar com ele na sua própria língua", disse à Apple Daily.

O jovem juntou-se à polícia há pouco menos de um ano e é o único oficial de origem paquistanesa no distrito. O comportamento do agente Zaffer durante a delicada situação rendeu-lhe elogios dos superiores e um clube de fãs nas redes sociais.

"Ele é muito bonito e tem ainda um coração de ouro", disse Nuna Priya, utilizadora do Facebook.

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.