sicnot

Perfil

Mundo

Violino roubado há quase 40 anos de volta aos palcos

Um violino Stradivarius, roubado em 1980 e desaparecido até 2015, que pertencia ao músico polaco Roman Totenberg, regressou aos palcos pelas mãos de uma aluna do antigo proprietário.

O violino tinha sido roubado do camarim de Totenberg após um concerto nos Estados Unidos. O músico polaco morreu em 2012, aos 101 anos, e já não pôde reencontrar em vida o seu parceiro de tantos palcos.

O instrumento foi recuperado em 2015, depois de uma mulher o ter dado a familiares de Totenberg, alegando que o tinha herdado do marido, um antigo aluno do músico que era suspeito do roubo do violino, apesar da acusação nunca ter sido formalizada.

Curiosamente, foi também pelas mãos de uma antiga aluna - a chinesa Mira Wang - que o violino voltou a ser tocado publicamente, em Nova Iorque.

© Shannon Stapleton / Reuters

© Shannon Stapleton / Reuters

Em declarações à BBC, Wang manifestou-se grata pela oportunidade de poder trazer o instrumento a público pela primeira vez em tantos anos.

O raro instrumento foi construído na primeira metade do século XVIII e é um dos 500 que restam dos mil violinos feitos por Antonio Stradivari.

© Shannon Stapleton / Reuters

Seth Wenig

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".