sicnot

Perfil

Mundo

Primeiro-ministro holandês vence eleições legislativas

Patrick Post / AP

Apurados 94,3% dos votos, o partido liderado por Mark Rutte venceu as eleições legislativas. Conquistando 33 assentos parlamentares, abre-se a porta à formação de um governo de coligação de centro-direita.

De acordo com a agência de notícias Efe, os lugares conquistados pelo Partido Popular para a Liberdade e a Democracia (VVD, de direita), a par com os 19 obtidos tanto pelos democratas-cristãos como pelo partido Democracia D66, dariam lugar a um Executivo em minoria com 71 apoios.

Para superar os 76 deputados que proporcionam a maioria absoluta na Câmara Baixa, com 150 membros, Mark Rutte poderá recorrer aos nove lugares dos trabalhistas (PvdA), que foram parceiros do Governo na anterior legislatura.

Contudo, falta saber se o PvdA está disponível para o efeito, depois de quatro anos e meio de aliança e a perda de 29 assentos nestas eleições.

Apesar de o Partido da Liberdade (PVV, de extrema-direita) ter conquistado 20 assentos nestas eleições - contrariando as sondagens que a apontavam como a força mais votada -, a maioria das formações políticas manifestou durante a campanha eleitoral que não pretendia aliar-se com Geert Wilders.

Depois de se ter ficado a saber que ficou colocado em segundo lugar nas eleições, Geert Wilders afirmou-se pronto para integrar o futuro Governo holandês caso seja convidado.

No entanto, Mark Rutte, reeleito agora para um terceiro mandato à frente do Governo da Holanda, garantiu, nas semanas que antecederam o escrutínio, que a probabilidade de governar com Geert Wilders "não é era de 0,1, mas sim de zero".

Em paralelo, também parece pouco provável uma aliança entre as forças de esquerda, apesar do crescimento do partido ecologista Groenlinks, que passou de quatro para 14 assentos no parlamento.

O apoio dos 14 deputados pertencentes ao Partido Socialista (PS) seria insuficiente, se bem que o seu líder, Emile Roemer, pediu aos demais partidos de esquerda "para não irem atrás da direita" afirmando que será "emocionante" ver a cor do futuro Executivo.

Lusa

  • Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas
    1:40

    Economia

    Carlos Moedas diz que Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas a propósito da saída do procedimento por défice excessivo. Em entrevista ao Diário de Notícias e à TSF, o comissário europeu levanta dúvidas sobre a renegociação da dívida e garante que a escolha de Mário Centeno para a liderança do Eurogrupo vai depender do entendimento dos países do euro.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Polícia usa gás lacrimogéneo para dispersar manifestantes contra cimeira do G7
    2:28

    Mundo

    A cimeira do G7 terminou este sábado com confrontos entre manifestantes e a polícia na ilha italiana da Sicília e sem o compromisso de Donald Trump sobre o Acordo de Paris para a redução de emissões de dióxido de carbono. O Presidente dos EUA fez saber na rede social Twitter que vai tomar a decisão final durante a próxima semana.