sicnot

Perfil

Mundo

Proposta de orçamento de Trump quer cortar ajuda dos EUA ao estrangeiro

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, vai propor cortes drásticos na ajuda do país ao estrangeiro e a programas ambientais no seu primeiro orçamento, que dá particular peso à Defesa e que será divulgado hoje.

Num plano que pretende refletir as promessas de campanha, o líder republicano vai propor um corte de 28% no financiamento ao Departamento de Estado.O corte é tido como um prenúncio de fortes reduções na ajuda ao estrangeiro e no financiamento das agências da ONU, que terão efeitos colaterais em todo o mundo.

O Pentágono será o grande vencedor, com um aumento de quase 10%, que resulta em mais fundos ao orçamento da Defesa que já é maior que o dos sete maiores países seguintes juntos.

Separadamente, cerca de quatro mil milhões de dólares serão destinados este ano e no próximo para começar a construir o muro na fronteira com o México.

A promessa de construção de um muro fronteiriço com o México é uma das mais polémicas de Trump, que insiste que o país vizinho vai reembolsar os Estados Unidos pela obra.

O custo estimado do muro tem vindo a crescer progressivamente desde os cerca de 8.000 milhões de dólares calculados inicialmente por Trump até aos 21.600 milhões, segundo os últimos cálculos do Departamento de Segurança Nacional (DHS, na sigla inglesa) que já reconheceu que vão ser pagos com dinheiro aprovado pelo Congresso.

De acordo com documentos do DHS, prevê-se que a construção do muro com o México seja iniciada nas zonas fronteiriças de El Paso (Texas), Tucson (Arizona) e El Centro (Califórnia).

Estes pontos fazem fronteira com as cidades mexicanas de Ciudad Juárez (Chihuahua), Nogales (Sonora) e Mexicali (Baixa Califórnia), respetivamente.Trump quer também privatizar as operações de controlo de tráfego aéreo do país.

A proposta de orçamento indica que retirar as operações da Administração Federal de Aviação e colocá-las numa "organização independente, não-governamental" tornará o sistema "mais eficiente e inovador, mantendo a segurança".

A proposta de Trump abrange apenas uma fração do orçamento federal de 3,8 biliões de dólares, dominado pela saúde, pensões e outros custos.

O texto será revisto e refeito pelo Congresso antes de um orçamento completo ser divulgado em maio.Nesse sentido, este plano assume-se mais como uma afirmação política do que um programa fiscal.

Lusa

  • Marco Silva vai treinar o Watford

    Desporto

    O treinador português Marco Silva assinou contrato com o Watford, da Liga Inglesa. O emblema que terminou a última Premier League na 17ª posição, a última antes dos lugares de descida, ganhou assim a corrida ao Crystal Palace e ao FC Porto, que também tentaram contratar o técnico.

  • "A maior conquista foi construir estabilidade"
    2:14

    Economia

    António Costa voltou esta sexta-feira a garantir que a partir de junho nenhum subsídio de desemprego será inferior a 421 euros por mês. O primeiro-ministro falava nas jornadas parlamentares do PS, onde afirmou que a estabilidade é a maior conquista deste Governo.

  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.

  • G7 reforça compromisso na luta contra o terrorismo
    2:11
  • Uma foto para a história

    Mundo

    As mulheres dos líderes mundiais que se reúnem nas cimeiras da NATO posam para a fotografia oficial das primeiras-damas. A deste ano é histórica. Pela primeira vez, há um marido de um primeiro-ministro entre as nove mulheres. Trata-se de Gauthier Destenay, casado com o líder do Luxemburgo.