sicnot

Perfil

Mundo

Proposta de orçamento de Trump quer cortar ajuda dos EUA ao estrangeiro

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, vai propor cortes drásticos na ajuda do país ao estrangeiro e a programas ambientais no seu primeiro orçamento, que dá particular peso à Defesa e que será divulgado hoje.

Num plano que pretende refletir as promessas de campanha, o líder republicano vai propor um corte de 28% no financiamento ao Departamento de Estado.O corte é tido como um prenúncio de fortes reduções na ajuda ao estrangeiro e no financiamento das agências da ONU, que terão efeitos colaterais em todo o mundo.

O Pentágono será o grande vencedor, com um aumento de quase 10%, que resulta em mais fundos ao orçamento da Defesa que já é maior que o dos sete maiores países seguintes juntos.

Separadamente, cerca de quatro mil milhões de dólares serão destinados este ano e no próximo para começar a construir o muro na fronteira com o México.

A promessa de construção de um muro fronteiriço com o México é uma das mais polémicas de Trump, que insiste que o país vizinho vai reembolsar os Estados Unidos pela obra.

O custo estimado do muro tem vindo a crescer progressivamente desde os cerca de 8.000 milhões de dólares calculados inicialmente por Trump até aos 21.600 milhões, segundo os últimos cálculos do Departamento de Segurança Nacional (DHS, na sigla inglesa) que já reconheceu que vão ser pagos com dinheiro aprovado pelo Congresso.

De acordo com documentos do DHS, prevê-se que a construção do muro com o México seja iniciada nas zonas fronteiriças de El Paso (Texas), Tucson (Arizona) e El Centro (Califórnia).

Estes pontos fazem fronteira com as cidades mexicanas de Ciudad Juárez (Chihuahua), Nogales (Sonora) e Mexicali (Baixa Califórnia), respetivamente.Trump quer também privatizar as operações de controlo de tráfego aéreo do país.

A proposta de orçamento indica que retirar as operações da Administração Federal de Aviação e colocá-las numa "organização independente, não-governamental" tornará o sistema "mais eficiente e inovador, mantendo a segurança".

A proposta de Trump abrange apenas uma fração do orçamento federal de 3,8 biliões de dólares, dominado pela saúde, pensões e outros custos.

O texto será revisto e refeito pelo Congresso antes de um orçamento completo ser divulgado em maio.Nesse sentido, este plano assume-se mais como uma afirmação política do que um programa fiscal.

Lusa

  • Confirmados dois novos casos de legionella

    Legionella

    Dois novos casos de legionella foram esta quarta-feira confirmados. A informação foi avançada em comunicado pela Direção-Geral da Saúde. Tratam-se de duas pessoas com mais de 80 anos, internadas no Hospital São Francisco Xavier e no Egas Moniz, ambas em situação clínica estável.

  • Comprar um carro em segunda mão sem ser enganado 
    8:44
  • O que aprendemos com secas anteriores?
    32:50

    País

    A água é um recurso essencial para todos os organismos vivos, comunidades e atividades económicas. Num país com situações de secas recorrentes, que tendem a ser agravadas pelas alterações climáticas, o que aprendemos com anteriores episódios de escassez de água? Como usar a água para que não falte no futuro? "Água Sob Pressão" foi o tema desta Grande Reportagem, de Carla Castelo (jornalista), Manuel Ferreira (Imagem), Gonçalo Freitas (Edição de imagem), Paulo Alves (Grafismo) e Isabel Mendonça (Produção), exibida na SIC em julho de 2012 (que também foi um ano de seca, ainda que menos grave do que a atual).

  • Jorge Jesus e Ana Malhoa contra o consumo de sal
    1:21
  • Diminuem as hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino
    3:09

    Mundo

    As hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino, desaparecido há 8 dias, começaram a diminuir, uma vez que o chamado "tempo de segurança" já foi ultrapassado. A Marinha portuguesa está a acompanhar o caso do submarino que está desaparecido há oito dias. As hipóteses de salvar os tripulantes vão diminuindo.

  • Quem é o novo Presidente do Zimbabué?
    2:15