sicnot

Perfil

Mundo

EUA e China concordam que tensão nas Coreias está em nível "bastante perigoso"

© POOL New / Reuters

Washington e Pequim concordaram este sábado que a tensão na península coreana alcançou um nível "bastante perigoso" e comprometeram-se a fazer "todo o possível" para evitar um conflito, afirmou o secretário de Estado dos Estados unidos, Rex Tillerson.

"Penso que partilhamos a opinião de que as tensões na península são agora bastante elevadas e de que as coisas alcançaram um nível bastante perigoso", afirmou Tillerson numa conferência de imprensa depois de se reunir em Pequim com o ministro dos Negócios Estrangeiros da China, Wang Yi.

"Comprometemo-nos a fazer tudo o que possamos para prevenir o rebentamento de qualquer conflito", adiantou. Tillerson disse ainda que Washington e Pequim iriam trabalhar para ver se conseguiam convencer Pyongyang a corrigir o percurso a afastar-se do desenvolvimento das armas nucleares.

O secretário de Estado dos Estados Unidos debateu este sábado com o Governo chinês uma nova estratégia para lidar com a Coreia do Norte, naquela que é a primeira visita ao país asiático de um membro do gabinete de Trump.

Rex Tillerson chegou este sábado a Pequim proveniente da Coreia do Sul e do Japão, onde lembrou a necessidade de mudar a estratégia de Washington em relação a Pyongyang e assegurou que todas as "opções estão abertas".

No domingo terminará a visita com um encontro com o presidente Xi Jinping. Em outras escalas desta viagem à Ásia, o secretário de Estado defendeu um novo plano para fazer frente aos avanços norte-coreanos após os seus últimos ensaios, mas não deu quaisquer detalhes.

Na sexta-feira, o secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson disse que uma ação militar dos Estados Unidos contra o regime de Pyongyang era "uma opção que está em cima da mesa", após visitar a zona desmilitarizada que divide a península coreana. "Nós não queremos que as coisas cheguem a um conflito militar", disse Tillerson, acrescentando que se a Coreia do Norte incrementar "as ameaças", as opções passam a ser militares.

"Se eles [Coreia do Norte] elevarem a ameaça através do programa de armamento a um nível que, acreditamos, pode obrigar a uma ação [militar], então essa opção fica em cima da mesa", afirmou o secretário de Estado norte-americano.

Lusa

  • Autarca garante que não houve "touros de fogo"

    País

    O presidente da Câmara de Benavente disse esta segunda-feira à Lusa que a atividade "touros de fogo" foi retirada do programa da Festa da Amizade depois de recebido um parecer desfavorável da Direção-Geral de Veterinária.

  • Presidente do Brasil formalmente acusado de corrupção

    Mundo

    O Procurador-Geral da República do Brasil apresentou na noite de segunda-feira ao Supremo Tribunal Federal uma denúncia contra o Presidente Michel Temer e o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) pelo crime de corrupção passiva.

  • Reconquista de Mossul ao Daesh pode estar para breve
    1:27
  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.