sicnot

Perfil

Mundo

Cientistas criam rato transgénico para servir de alarme de pandemias

Células de um rato transgénico com uma proteína encontrada no sistema imunitário humano, a MxA.

(Deeg et al./ 2017)

Investigadores na Alemanha criaram um rato transgénico que poderá ajudar a identificar novas estirpes do vírus da gripe capazes de provocar pandemias globais, como se descreve num estudo publicado hoje numa revista especializada.

No artigo do Journal of Experimental Medicine, os cientistas criaram através de manipulação genética um rato com uma proteína encontrada no sistema imunitário humano, a MxA.


Esta proteína é um dos obstáculos às infeções pelo vírus da gripe, e é capaz de proteger culturas de células do vírus da gripe aviária mas é ineficaz contra mutações que conseguem infetar humanos.


Os cientistas esperam que os ratos transgénicos consigam ser como uma espécie de alarme. Se algum vírus os infetar, sabe-se que se trata de um vírus com uma mutação que é capaz de vencer o sistema imunitário humano.


"O nosso rato transgénico com MxA consegue distinguir entre estirpes do vírus sensíveis à proteína e estirpes que conseguem fugir-lhe e, em consequência, têm potencial de provocar pandemias em humanos", afirmou o investigador Peter Staeheli, do Instituto de Virologia do Centro Médico da Universidade de Freiburgo.

Lusa

  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão