sicnot

Perfil

Mundo

Autoridade eleitoral turca rejeita recursos da oposição a exigir a anulação do referendo

Yagiz Karahan

O Alto Conselho Eleitoral (YSK) da Turquia rejeitou esta quarta-feira os recursos apresentados pela oposição a exigir a anulação do referendo de domingo sobre o reforço dos poderes do Presidente Recep Tayyip Erdogan, divulgaram os meios de comunicação locais.

A oposição turca denunciou "manipulações" no escrutínio e contestou uma decisão de última hora do YSK, a mais alta instância eleitoral da Turquia, que considerou como válidos os boletins de voto não marcados com o selo oficial das autoridades eleitorais.

Dez membros do YSK votaram contra a anulação da consulta pública e apenas um elemento do órgão eleitoral votou a favor, segundo noticiou o canal de televisão privado NTV.

O "Sim" ao reforço dos poderes do Presidente turco venceu o referendo de domingo com 51,4%, de acordo com uma contagem provisória divulgada pelos meios de comunicação oficiais turcos.

Numa reação à decisão do YSK, o vice-presidente do principal partido da oposição turca (CHP), Bulent Tezcan, afirmou, em declarações ao canal de televisão CNN-Turk, que a posição do órgão eleitoral poderá provocar uma "grave crise de legitimidade".

"Vamos ativar todos os meios legais", disse o representante, acrescentando que o partido vai estabelecer um plano de ação após ter consultado especialistas em Direito, encontros que estão previstos para quinta-feira.

Uma missão conjunta de observadores da Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE) e da Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa considerou que o escrutínio "não correspondeu aos padrões" europeus e sublinhou que a campanha prévia à consulta pública decorreu num "campo de jogo que não estava nivelado".

Lusa

  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23

    País

    A Proteção Civil emitiu um alerta para o tempo frio e seco e pede cuidados redobrados. As temperaturas já começaram a descer, com regiões a registarem valores negativos. No interior, podem chegar aos 5 graus negativos. Até ao Natal o tempo vai manter-se frio, seco e com ausência de chuva.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • PS volta a subir nas intenções de voto e não baixa dos 40%
    2:01
  • Marcelo evita "ideia de que o ano foi todo muito bom"
    3:14

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa disse esta sexta-feira que 2017 teve "o melhor e o pior" e que "é preciso evitar a "ideia que o ano foi todo muito bom". O Presidente da República fez estas declarações depois de António Costa ter dito que a nível económico este "foi um ano particularmente saboroso".