sicnot

Perfil

Mundo

Mergulhador sobrevive a 60 horas preso em gruta

Um mergulhador espanhol sobreviveu depois de 60 horas preso numa gruta subaquática na ilha de Maiorca, em Espanha. No passado sábado Xisco Gràcia viu-se num cenário de terror quando percebeu que a garrafa de oxigénio tinha deixado de funcionar. O colega de mergulho foi forçado a deixá-lo para trás para pedir ajuda.

No entanto, a ajuda demorou a chegar e Xisco Gràcia só conseguiu sair da gruta na passada segunda-feira. A demora do resgate deveu-se à pouca visibilidade da água que foi descrita como 'cacau'.

A Guardia Civil espanhola quer rever os passos dos mergulhadores para saber se pode tirar alguma lição do sucedido, que possa vir a ajudar outros mergulhadores em situações semelhantes. Além disso, também vai ser aberta uma investigação para apurar responsabilidades.

A BBC conta que o mergulhador perdeu a noção do tempo e do espaço e que chegou a ter alucinações. "Pensei que já não me encontravam, foi muito duro a nível psicológico", diz Gràcia.

Numa entrevista dada ao jornal El Mundo, Enrique Ballesteros, membro do Grupo Especial de Actividades Subacuáticas (GEAS), diz que Xisco Grácia só conseguiu sobreviver porque tomou a decisão certa de esperar por ajuda e também pelos trabalho desenvolvido pelas equipas de resgate.

Operação de resgate a Xisco Gràcia:

De acordo com a imprensa, Gràcia é um mergulhador experiente e conhece bem o local onde ficou preso. O espanhol, na casa dos 50 anos de idade, sobreviveu bebendo de uma pequena 'piscina' de água fresca que se situava perto da gruta.

Gràcia foi encontrado a cerca de 40 metros abaixo da superfície, a 900 metros da entrada da gruta, por volta da meia-noite de segunda-feira.

  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23

    País

    A Proteção Civil emitiu um alerta para o tempo frio e seco e pede cuidados redobrados. As temperaturas já começaram a descer, com regiões a registarem valores negativos. No interior, podem chegar aos 5 graus negativos. Até ao Natal o tempo vai manter-se frio, seco e com ausência de chuva.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • PS volta a subir nas intenções de voto e não baixa dos 40%
    2:01
  • Marcelo evita "ideia de que o ano foi todo muito bom"
    3:14

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa disse esta sexta-feira que 2017 teve "o melhor e o pior" e que "é preciso evitar a "ideia que o ano foi todo muito bom". O Presidente da República fez estas declarações depois de António Costa ter dito que a nível económico este "foi um ano particularmente saboroso".