sicnot

Perfil

Mundo

Mortes na Califórnia motivadas por ódio racial

FRESNO POLICE DEPARTMENT / HANDOUT

O homem que na terça-feira matou a tiro três pessoas na cidade californiana de Fresno, EUA, fê-lo motivado por ódio racial contra os brancos, indicou esta quarta-feira o chefe da polícia local, Jerry Dyer.

Kori Ali Muhammad, afro-americano de 39 anos, disparou contra as três vítimas aparentemente ao acaso, depois de tentar matar uma outra pessoa.

Tudo ocorreu em menos de dois minutos e em quatro locais num único quarteirão. O suspeito foi depois detido pela polícia, enquanto gritava "Allahu Akbar" (Deus é grande, em árabe).

"Não cremos que se trate de um ato terrorista. Isto está apenas baseado na raça", disse Dyer aos jornalistas.

Muhammad começou por se aproximar de um camião, disparando contra o funcionário da Pacific Gas & Electric Co. que estava sentado no lugar do passageiro.

O condutor do camião, um latino, acelerou em direção à esquadra da polícia, mas o trabalhador, um branco de 34 anos, acabou por morrer.

Muhammad disparou depois contra outra pessoa, mas falhou, acabando por alvejar outro homem, de 37 anos, que caminhava no passeio com um saco de compras.

A última vítima foi um homem de 58 anos, que se encontrava num parque de estacionamento.

Jerry Dyer disse que Muhammad se aproximou de um veículo entre os disparos, mas poupou a vida de duas mulheres que se encontravam no interior com uma criança. As duas eram latinas.

"Estas pessoas que foram escolhidas não fizeram nada para merecer o que lhes aconteceu" disse Dyer. "Foram ataques sem motivo cometidos por um indivíduo que tinha a intenção de fazer homicídios. Foi o que fez", afirmou.

Lusa

  • Curiosidades sobre o Mundial da Rússia
    3:08
  • Inocência e talento marcaram o 9.º dia de Mundial
    0:56
  • Ronaldo no País dos Sovietes: Algumas curiosidades
    1:54
  • O choro intenso de Neymar explicado pelo próprio
    0:51
  • A queda aparatosa do selecionador do Brasil
    0:05
  • Dia de limpezas em Chaves após violenta tempestade
    2:44
  • Athanasia, uma mulher sem medo das alturas
    0:35

    Mundo

    É grega, chama-se Athanasia Athineau, tem 29 anos e pertence à unidade de forças especiais da Grécia. O salto que podemos ver é de 10 mil pés, mas Athanasia faz também saltos de 30 mil. Neste caso, caíu a uma velocidade de 250 quilómetros por hora antes de abrir o pára-quedas.

  • Talheres de Hitler vendidos por 14 mil euros

    Mundo

    Um conjunto de duas facas, três colheres e três garfos de prata, que pertencia a Adolf Hitler, foi vendido em Dorset, Inglaterra, pelo valor de 12.500 libras (aproximadamente 14.200 euros). O serviço de talheres foi criado no âmbito das celebrações do 50.º aniversário do ditador nazi.

    SIC