sicnot

Perfil

Mundo

Trump quer audiência com o Papa durante a visita a Itália

Max Rossi

A Casa Branca anunciou esta quarta-feira que vai pedir um encontro entre o Presidente norte-americano e o Papa Francisco, que em diversas ocasiões se exprimiu contra a administração Trump em temas como imigração e ambiente.

"Vamos contactar o Vaticano para ver se podem agendar uma audiência com o papa" durante a visita de Trump a Itália para participar na cimeira do G7, anunciou esta quarta-feira o porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, na sua conferência de imprensa diária.

Spicer adiantou que "seria uma honra ter uma audiência com sua santidade".

O anúncio de Sean Spicer surge dias depois de alguns órgãos de Comunicação Social terem revelado que, pelo menos até à semana passada, a Casa Branca não tinha pedido uma audiência com o Papa para a viagem de Trump, como sucedeu com os antecessores do atual Presidente norte-americano nas deslocações a Itália.

Caso se confirme o encontro, será o primeiro contacto oficial conhecido entre Trump e Francisco, que em fevereiro de 2016 protagonizaram declarações cruzadas, depois de o Papa ter dito que "não é cristão" construir muros, numa alusão à promessa do Presidente de erguer uma barreira na fronteira Estados Unidos-México.

Trump, que na ocasião era apenas um aspirante à Casa Branca, mas que já liderava as intenções de voto para ser o candidato republicano, replicou que era "vergonhoso" que "um líder religioso questione a fé de uma pessoa".

Todavia, no dia seguinte quis atenuar a tensão criada, ao dizer que o Papa era "um tipo incrível", enquanto o Vaticano assegurou que Francisco não quis fazer um "ataque pessoal nem dar nenhuma indicação de voto".

Trump visitará Itália para assistir na cidade siciliana de Taormina à cimeira do G7, que juntará os chefes de Estado e de Governo do Grupo dos Sete países mais industrializados do mundo: Itália, Alemanha, França, Reino Unido, Estados Unidos, Japão e Canadá.

Lusa

  • Captura ilegal de cavalos-marinhos na Ria Formosa
    3:02

    País

    Há cada vez menos cavalos marinhos na Ria Formosa. Cientistas da Universidade do Algarve dizem que a maior população desta espécie no mundo, que é a que existe na Ria Formosa, está ameaçada devido à captura ilegal para o mercado asiático. Dizem que, se nada for feito para travar este fenómeno, esta espécie protegida pode desaparecer em poucos anos.