sicnot

Perfil

Mundo

Cambodja e UNICEF querem acabar com orfanatos fictícios

Thomas White / Reuters

A UNICEF está a trabalhar com o Governo do Cambodja para pôr fim aos orfanatos falsos, onde os pais deixam as crianças para atrair doações de turistas ou adoções ilegais.

Num dos países mais pobres do mundo, cerca de 17% dos cambodjanos vivem abaixo do limiar da pobreza, o que leva muitas famílias a entregar os filhos aos orfanatos na esperança de serem adotados por turistas. Nos últimos anos têm aparecido numerosos destes orfanatos falsos e sem licença, suspeitos de negligência e abusos contra as crianças.

Apesar dos apelos de assistentes sociais e organizações não governamentais para que os estrangeiros não recorram a estes meios para adotar crianças, o Governo suspeita que há 16579 crianças, em que pelo menos 85% não são órfãs, em 406 orfanatos pelo país e que estão a ser vítimas de exploração infantil.

"Há imensos abusos dentro dos orfanatos", admitiu o ministro dos Assuntos Sociais, Veteranos e Jovens, Vong Sauth, citado pela agência Reuters.

O Governo cabodjano, em parceria com a UNICEF, pretende devolver às famílias pelo menos 3500 que não são órfãs até ao próximo ano.

"As crianças que vivem em instituições não regulamentadas e sem inspeções correm mais risco de negligência, de abusos físicos e sexuais e de tráfico", alertou a representante da UNICEF no Cambodja, Debora Comini, apelando aos turistas para não darem doações a estes orfanatos ilegais.

  • O encontro emocionado de Marcelo com a mãe de uma das vítimas dos fogos
    0:30
  • Proteção Civil garante que já não há desaparecidos
    1:40
  • "Depois de sair da autoestrada o vidro do carro ainda estava a ferver"
    2:01
  • "O fogo chegou de repente. Foi um demónio"
    2:15
  • O desabafo de um empresário que perdeu "uma vida inteira de trabalho" no fogo
    2:08
  • O testemunho emocionado de quem perdeu quase tudo
    2:10
  • As comunicações entre operacionais no combate às chamas em Viseu
    2:27
  • Houve "erros defensivos que normalmente a equipa não comete"
    0:38

    Desporto

    No final do jogo, quando questionado sobre a ausência de Casillas no onze do FC Porto, Sérgio Conceição referiu que a equipa apresentada era aquela que lhe oferecia garantias. Quanto ao jogo, o treinador portista reconheceu que a equipa cometeu vários erros defensivos.

  • "Cometemos erros e há que tentar corrigi-los"
    0:41

    Desporto

    No final do jogo em Leipzig, Iván Marcano desvalorizou a ausência de Iker Casillas e entendeu que o facto de o guarda-redes ter ficado no banco não teve impacto na equipa. Já sobre o jogo, o central espanhol garantiu que não correu da forma como os jogadores esperavam.

  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.