sicnot

Perfil

Mundo

Facebook quer que utilizadores "escrevam com o cérebro"

Um projeto do departamento de hardware da rede social Facebook, divulgado esta quarta-feira, pretende que os utilizadores, através da tecnologia, consigam controlar computadores diretamente com o cérebro, interpretando e produzindo mensagens.

A BBC explica que o projeto, que ainda se encontra numa fase inicial, vai requerer novas tecnologias que permitam detetar ondas cerebrais sem a necessidade de recorrer a cirurgias invasivas.

A conferência decorreu em San Jose, na Califórnia.

A conferência decorreu em San Jose, na Califórnia.

Stephen Lam

Stephen Lam

"Não queremos descodificar os pensamentos aleatórios das pessoas", esclarece Regina Dugan, diretora do Building 8, o departamento do Facebook responsável por este projeto.

Stephen Lam

A responsável resume o projeto como uma espécie de "rato cerebral para uma realidade aumentada", que envolve elementos reais e virtuais. Desta forma, seria possível digitar 100 palavras por minuto usando apenas o cérebro (cinco vezes mais depressa que a velocidade a que escrevemos nos nossos telemóveis).

Na véspera, o fundador da rede social, Mark Zuckerberg, já tinha anunciado que o Facebook tinha vindo a estudar "interfaces cerebrais" que um dia permitirão às pessoas "comunicar usando apenas a mente".

Stephen Lam

Atualmente já existem tecnologias de controlo externo do cérebro no mercado, mas ainda demasiado simplistas e insuficientes para este tipo de evolução.

  • Condutora que atropelou peregrinos "internada compulsivamente"

    País

    A condutora do veículo que hoje atropelou seis peregrinos na Estrada Nacional 365, em Alcanena, apresentava problemas do foro psicológico e teve de ser internada compulsivamente. O atropelamento esta madrugada fez uma vítima mortal, um homem, e feriu cinco pessoas, uma das quais em estado grave.

  • Maduro deve ser reeleito em eleições contestadas pela oposição
    1:46

    Mundo

    Os venezuelanos elegem hoje o Presidente que deverá estar à frente do país até 2025. Há quatro candidatos, mas Nicolás Maduro é o favorito na corrida. A oposição apelou ao boicote e vários países da América e das Caraíbas, os EUA e a UE já avisaram que não reconhecerão resultados de uma eleição que não é livre nem transparente.

  • A solução de Elon Musk para os engarrafamentos em Los Angeles
    1:23