sicnot

Perfil

Mundo

Mais de 400 detidos após manifestação anti-Maduro

Carlos Eduardo Ramirez

Mais de 400 pessoas foram detidas pelas autoridades venezuelanas após as manifestações contra o Presidente Nicolás Maduro esta quarta-feira, que foram reprimidas pela Guarda Nacional Bolivariana (GNB, polícia militar). Segundo o diretor da organização não-governamental Foro Penal Venezuelano a repressão está a aumentar na Venezuela.

"Está a aumentar o número de detidos que estamos a registar. São mais de 400 a nível nacional", anunciou Gonzalo Himiob, através da sua conta no Twitter.

Segundo o responsável, foram detidos manifestantes em Caracas e nos estados de Nova Esparta, Táchira, Carabobo, Miranda, Anzoátegui, Bolívar, Arágua, Barinas, Cojedes, Monágas e Zúlia.

As rádios locais dão conta que na noite de quarta-feira (manhã de hoje em Lisboa) as autoridades terão detido um número indeterminado de pessoas que tomaram as ruas do município Santo António de Los Altos (sul de Caracas), em protesto pela repressão policial contra manifestantes opositores.

Os manifestantes colocaram barricadas e atacaram vários funcionários da GNB.No Twitter, muitos divulgaram uma foto de um tanque militar incendiado por manifestantes.


Lusa

  • Dois mortos em protestos pró e anti-Maduro
    1:55

    Mundo

    Dois jovens foram mortos a tiro esta quarta-feira durante as manifestações na Venezuela. A capital do país, Caracas, foi palco de dois protestos a favor e contra Nicolás Maduro. As imagens mostram milhares de pessoas nas ruas e a grande tensão entre a polícia e os manifestantes.

  • Jovem baleado em manifestações de Caracas 

    Mundo

    Um jovem terá sido baleado na cabeça durante as manifestações desta quarta-feira em Caracas, na Venezuela. A informação está a ser avançada pela agência de notícias espanhola EFE que tem repórteres no local.

  • Maduro quer expandir milícias armadas
    0:48

    Mundo

    O Presidente da Venezuela aprovou a compra de 500 mil espingardas para aumentar o número de civis envolvidos em milícias armadas, numa altura em que a tensão no país não pára de crescer. Nicolás Maduro anunciou-a durante a celebração do sétimo aniversário da Milícia Nacional Bolivariana.

  • O encontro emocionado de Marcelo com a mãe de uma das vítimas dos fogos
    0:30
  • Proteção Civil garante que já não há desaparecidos
    1:40
  • "Depois de sair da autoestrada o vidro do carro ainda estava a ferver"
    2:01
  • "O fogo chegou de repente. Foi um demónio"
    2:15
  • O desabafo de um empresário que perdeu "uma vida inteira de trabalho" no fogo
    2:08
  • O testemunho emocionado de quem perdeu quase tudo
    2:10
  • As comunicações entre operacionais no combate às chamas em Viseu
    2:27
  • Houve "erros defensivos que normalmente a equipa não comete"
    0:38

    Desporto

    No final do jogo, quando questionado sobre a ausência de Casillas no onze do FC Porto, Sérgio Conceição referiu que a equipa apresentada era aquela que lhe oferecia garantias. Quanto ao jogo, o treinador portista reconheceu que a equipa cometeu vários erros defensivos.

  • "Cometemos erros e há que tentar corrigi-los"
    0:41

    Desporto

    No final do jogo em Leipzig, Iván Marcano desvalorizou a ausência de Iker Casillas e entendeu que o facto de o guarda-redes ter ficado no banco não teve impacto na equipa. Já sobre o jogo, o central espanhol garantiu que não correu da forma como os jogadores esperavam.

  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.