sicnot

Perfil

Mundo

Marine Le Pen teme novos atentados

Marine Le Pen teme novos atentados

A candidata às presidenciais francesas Marine Le Pen diz que tem conhecimento de que o Daesh enviou para Paris um outro militante para cometer mais ataques e que esse suspeito ainda não foi identificado. Em entrevista, esta manhã, a líder da Frente Nacional acrescentou que os franceses têm de estar alerta para o risco de novos atentados terroristas.

  • Suposto cúmplice do tiroteio em Paris entrega-se na Bélgica

    Mundo

    O suspeito referenciado pela Bélgica por ligações ao tiroteio de ontem em Paris entregou-se em Antuérpia. A informação já foi confirmada pelo Ministério do Interior francês, numa altura em que a polícia interrogava pelo menos três familiares do atirador abatido a tiro nos Campos Elísios.

  • Cazeneuve anuncia reforço da segurança
    1:14

    Mundo

    O primeiro-ministro francês anunciou hoje o reforço da segurança antes da primeira volta das presidenciais, na sequência do atentado de ontem. Bernard Cazeneuve diz que a nação está solidária com as vitimas e as famílias e elogiou a forma como a policia tem sabido responder à ameaça do terrorismo no país.

  • Confirmados dois novos casos de legionella

    Legionella

    Dois novos casos de legionella foram esta quarta-feira confirmados. A informação foi avançada em comunicado pela Direção-Geral da Saúde. Tratam-se de duas pessoas com mais de 80 anos, internadas no Hospital São Francisco Xavier e no Egas Moniz, ambas em situação clínica estável.

  • Quem é o novo Presidente do Zimbabué?
    2:15

    Mundo

    Emmerson Mnangagwa é o sucessor de Robert Mugabe que regressou esta quarta-feira da África do Sul, onde estava refugiado. No primeiro discurso, o Presidente do Zimbabué falou de uma nova democracia no país. Mnangagwa, conhecido como crocodilo, é suspeito de atrocidades na guerra civil pós-independência. 

  • Diminuem as hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino
    3:09

    Mundo

    As hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino, desaparecido há 8 dias, começaram a diminuir, uma vez que o chamado "tempo de segurança" já foi ultrapassado. A Marinha portuguesa está a acompanhar o caso do submarino que está desaparecido há oito dias. As hipóteses de salvar os tripulantes vão diminuindo.

  • Comprar um carro em segunda mão sem ser enganado 
    8:44
  • O que aprendemos com secas anteriores?
    32:50