sicnot

Perfil

Mundo

Rússia envia aviões para zona do Alasca

A Rússia enviou esta semana, durante quatro dias consecutivos, bombardeiros e aviões de reconhecimento à zona de segurança aérea norte-americana no Alasca, declararam funcionários norte-americanos à cadeia televisiva Fox.

De segunda-feira a quinta-feira, a Rússia enviou diariamente aviões ao espaço aéreo internacional, mas dentro da zona de identificação aérea dos Estados Unidos no Alasca.

Na quinta-feira, novamente, um par de bombardeiros estratégicos Tu-95 voou em torno do Alasca e do território canadiano durante várias horas, o que levou os norte-americanos a ordenar a dois caças F-22 que voassem a curta distância para vigiar os movimentos russos.

Na segunda-feira e na terça-feira, vários Tu-95, deslocados da zona este da Rússia e capazes de transportar armas nucleares, entraram na área de identificação aérea norte-americana a menos de 321 quilómetros da costa do Alasca, chegando numa ocasião a menos de 60 quilómetros do território norte-americano.

Na quarta-feira, a Rússia enviou dois aviões de reconhecimento Ilyushin Il-38 para perto das ilhas Aleutas e o mar de Bering.

Esta é a primeira manobra deste tipo da Rússia desde que Donald Trump chegou à presidência dos Estados Unidos da América (EUA), em janeiro, e depois do uso de armas químicas na Síria e do consequente bombardeamento norte-americano a uma base do regime de Damasco, este mês, ter piorado as relações entre Washington e Moscovo.

Lusa

  • Os números das eleições francesas
    0:50

    Eleições França 2017

    Os resultados definitivos mostram que Emmanuel Macron obteve 24% dos votos, na primeira volta das eleições francesas. Ficou quase três pontos à frente de Marine Le Pen, que conseguiu 21,3%. Os números oficiais, publicados pelo Ministério do Interior, dão ainda conta da taxa de abstenção: 22,2%, um ligeiro aumento face à primeira volta das presidenciais de 2012.

  • Estarão os portugueses a consumir vitamina D em excesso? 
    6:44
  • Investigadores criam nanovacina contra diferentes cancros

    Mundo

    Investigadores da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, desenvolveram uma nanovacina (vacina administrada através de partículas microscópicas) contra diferentes cancros, como o da pele, do cólon e do reto, numa experiência com ratos, revela um estudo publicado esta segunda-feira.