sicnot

Perfil

Mundo

Violência na República Democrática do Congo causou um milhão de deslocados

Thomas Mukoya

A ONU alertou esta sexta-feira que os combates entre a milícia tribal Kamwina Nsapu e as forças da República Democrática do Congo (RDC) provocaram, desde agosto, 400 mortos, dois dos quais trabalhadores humanitários, e um milhão de deslocados.

A onda de violência, que forçou 600.000 crianças a fugirem do local onde viviam, localiza-se na região do Kasai Central, uma das mais pobres do país e onde se concentram as ações da milícia contra as instituições do Estado.

A remota região de Kasai tem sido palco de violência desde meados de agosto, quando as forças do governo mataram Kamwina Nsapu, um chefe tribal e líder de milícias que se rebelaram contra o governo do presidente Joseph Kabila.

O recrudescimento dos confrontos nos primeiros três meses deste ano levou a um aumento considerável do número de deslocados, disse o porta-voz do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), Christophe Boulierac, numa conferência de imprensa.

Segundo a UNICEF, mais de 1,5 milhões de crianças foram afetadas pelo conflito, onde algumas participam. De acordo com o representante interino da agência na RDC, Tajudeen Oyewale, pelo menos 2.000 menores foram recrutados pela milícia.

O trabalho conjunto da UNICEF e das autoridades congolesas permitiu o resgate de 384 menores que integravam a fileira dos rebeldes, disse Oyewale.

Por outro lado, a UNICEF registou 28.000 casos de má nutrição grave entre as crianças da região e apenas conseguiu recolher 3,5 dos 20,6 milhões de dólares (3,2 de 19,2 milhões de euros) solicitados para dar resposta à situação.

Lusa

  • Principais factos da acusação no caso BPN dados como provados

    País

    O coletivo de juízes responsável pelo julgamento do processo principal do caso BPN interrompeu perto das 13:00 a leitura do acórdão iniciada pelas 10:30. Os principais factos da acusação são dados como provados, mas a leitura deverá demorar algumas horas.

  • Greve na Função Pública vai afetar escolas, saúde e cultura

    País

    A greve nacional convocada para sexta-feira pela Federação Nacional dos Sindicatos da Função Pública (FNSTFPS) deverá afetar as escolas, a área da saúde e ainda da cultura, entre outros serviços, afirmou esta quarta-feira a dirigente sindical, Ana Avoila.

  • Papa pede a Trump para ser pacificador
    1:12
  • Supremo confirma condenação de Messi por fraude fiscal

    Desporto

    O Supremo Tribunal de Justiça espanhol confirma a condenação de Lionel Messi por fraude fiscal. A notícia foi avançada pelo El País. O jogador do Barcelona foi condenado a 21 meses de prisão por três crimes fiscais que lesaram o Estado em 4,1 milhões de euros.

  • Autódromo do Estoril está ilegal há 45 anos

    Desporto

    De acordo com o Público este equipamento desportivo, inaugurado na década de 70, não tem licença de construção nem de utilização. Uma notícia que apanhou de surpresa o executivo camarário de Cascais, liderado por Carlos Carreiras.

  • Seca na Bacia do Sado exige restrições ao uso da água no Alentejo

    País

    A Agência Portuguesa do Ambiente aprovou hoje um conjunto de medidas para gestão dos recursos hídricos, definindo medidas específicas para a bacia hidrográfica do Sado, a única que se encontra em situação de seca. Além da diminuição de regas em hortas e jardins, a APA recomenda o encerramento das fontes decorativas, a proibição de encher piscinas e de lavagem de automóveis.