sicnot

Perfil

Mundo

Presidente filipino diz que pode ser 50 vezes pior que os terroristas

Erik de Castro

O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, avisou este domingo que pode ser 50 vezes mais brutal que os extremistas muçulmanos que fazem decapitações, dizendo que até poderia "comer" os terroristas se fossem capturados vivos pelas tropas do país.

Duterte tem repetidamente ameaçado de morte os suspeitos de tráfico de droga nas Filipinas, mas agora elevou a sua retórica a um novo nível com estas declarações feitas no âmbito da abertura de um evento desportivo.

O presidente filipino ordenou às tropas para que matassem militantes muçulmanos que fugiam depois de um ataque fracassado na província central de Bohol e que não os trouxessem vivos, chamando "animais" aos extremistas.

"Se querem que eu seja um animal, eu também estou habituado a isso. Nós somos iguais", afirmou Duterte, citado pela agência de notícias Associated Press (AP).

"Eu posso fazer o que vocês fazem 50 vezes mais", atirou o político, dizendo o que faria que se um terrorista lhe fosse apresentado enquanto estivesse de mau humor.

"Passem-me o sal e o vinagre e eu como o seu fígado", lançou.

Duterte venceu as eleições presidenciais filipinas em maio do ano passado com a promessa de combater as drogas ilegais, a corrupção e o terrorismo.Milhares de pessoas morreram devido à sua campanha antidrogas, que tem alarmado os governos ocidentais e grupos de direitos humanos.

Duterte já avisou que pode colocar sob lei marcial a zona sul das Filipinas - onde há décadas que há uma rebelião separatista muçulmana - caso as ameaças terroristas fiquem fora de controlo.

Lusa

  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23

    País

    A Proteção Civil emitiu um alerta para o tempo frio e seco e pede cuidados redobrados. As temperaturas já começaram a descer, com regiões a registarem valores negativos. No interior, podem chegar aos 5 graus negativos. Até ao Natal o tempo vai manter-se frio, seco e com ausência de chuva.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • PS volta a subir nas intenções de voto e não baixa dos 40%
    2:01
  • Marcelo evita "ideia de que o ano foi todo muito bom"
    3:14

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa disse esta sexta-feira que 2017 teve "o melhor e o pior" e que "é preciso evitar a "ideia que o ano foi todo muito bom". O Presidente da República fez estas declarações depois de António Costa ter dito que a nível económico este "foi um ano particularmente saboroso".