sicnot

Perfil

Mundo

Assembleia Constituinte é "o fim" do legado de Chávez

Marco Bello/ Reuters

A Organização de Estados Americanos (OEA) considera a convocatória a uma Assembleia Constituinte (AC), feita pelo Presidente Nicolás Maduro, é "o fim" do legado do ex-presidente Hugo Chávez.

"A Venezuela sofre uma grave alteração da sua ordem constitucional de parte de um regime que tem violado a Constituição em todos os seus princípios fundamentais. A violação da Constituição é o problema venezuelano. Este mesmo regime anuncia agora o fim da Constituição de (Hugo) Chávez e do seu legado, a partir de um processo fraudulento chamado a uma Assembleia Constituinte", refere um comunicado.

O documento, a que a agência Lusa teve acesso, explica que o presidente da Venezuela teve a iniciativa de convocar uma AC, "mas o poder de convocatória é do corpo eleitoral do país"."Quem pode convocar uma AC é o povo exclusivamente, quem unicamente conta com o poder constituinte originário.

A solicitude de uma Constituinte e as bases dos comícios devem submeter-se a um referendo. O processo constituinte deve contar sempre com a aprovação dos eleitores, para ser válido e não só de componentes ou setores do mesmo", explica.

Segundo a OEA "nesse sentido, a proposta anunciada é errada, inconstitucional e fraudulenta" porque "viola os princípios fundamentais da igualdade política".

"Uma AC convocada sobre a base da discriminação política, viola a Constituição e a medida do regime é, em substância e forma antidemocrática, porque se usurpou o poder do povo, viola reconhecidos princípios elementares", sublinha.

O documento frisa ainda que uma AC só pode realizar-se segundo o previsto na Constituição da Venezuela, ou seja, através do sufrágio universal, direto e secreto, que é a base da expressão da soberania do povo.Na segunda-feira, o Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, convocou os venezuelanos para elegerem uma Assembleia Nacional Constituinte cidadã, para, justificou, preservar a paz e a estabilidade da República, incluir um novo sistema económico, segurança, diplomacia e identidade cultural.

Segundo Nicolás Maduro, como parte das suas "atribuições constitucionais" está a reforma do Estado venezuelano, modificar a ordem jurídica, permitindo a convocatória redigir uma nova Constituição.As marchas a favor e contra o Presidente venezuelano, intensificaram-se há um mês e, segundo dados oficiais, 28 pessoas morreram.

Fontes não oficiais elevam para 34 o número de mortos em manifestações, nas quais mais de 500 pessoas ficaram feridas e mais de 1.300 foram detidas.

Lusa

  • Bruxelas aguarda relatório completo para analisar pesca da sardinha
    1:29
  • Madonna está outra vez em Lisboa 😲
    0:59
  • Novas regras para compra e venda de animais
    2:04

    País

    Foi aprovado o projeto de lei do PAN que regula transações de animais de companhia. O diploma proíbe, ainda, a publicidade e a venda online de animais selvagens. As multas para o incumprimento da legislação poderão ir dos 200 aos 3.740 euros.

  • Assédio proibido por lei
    1:40

    País

    Ser assediado no emprego é agora proibido por lei e passa a dar direito a indemnização. É o que prevê o diploma aprovado ontem no Parlamento, com as abstenções do PSD e do CDS.

  • Portugal com 3.ª maior dívida pública da UE

    Economia

    A dívida pública recuou, em termos homólogos, na zona euro e na União Europeia (UE), no primeiro trimestre, tendo Portugal registado a terceira maior dos 28 (130,5%), depois da Grécia e de Itália, divulga hoje o Eurostat.

  • Montenegro e o futuro do PSD: "Não vou pedir licença para avançar"
    1:41

    País

    Luís Montenegro admite que se achar que é a pessoa ideal para a liderança do PSD, não vai pedir licença a ninguém para avançar. Em entrevista à SIC Notícias, o ex-líder parlamentar do PSD diz que está ao lado de Passos Coelho mas sublinha que é importante que haja uma clarificação na liderança do partido.

    Entrevista SIC Notícias