sicnot

Perfil

Mundo

Descoberto um dos últimos dinossauros que viveu em África

Dr Nick Longrich, Milner Centre for Evolution, University of Bath

Um dos últimos dinossauros que viveu em África antes da extinção da espécie, há 66 milhões de anos, foi descoberto numa mina de fosfato no norte de Marrocos, foi esta quarta-feira anunciado.

O estudo do fóssil, dirigido pela Universidade de Bath, Reino Unido, sugere que após a separação do supercontinente Gondwana (que há milhões de anos incluía a maior parte dos continentes atuais do hemisfério sul) uma fauna distinta de dinossauros evoluiu em África.

A nova espécie, o 'Chenanisaurus Barbaricus', foi um dos últimos tipos de dinossauros na terra até à extinção da espécie e era contemporâneo do norte-americano 'Tyranossaurus Rex', refere o estudo, publicado na revista especializada Cretaceous Research.

Como pouco se sabe sobre os dinossauros que viveram em África até ao fim do período Cretáceo, há 66 milhões de anos, a descoberta é considerada importante pelos responsáveis da Universidade, que explicam que os depósitos de fosfato (usados em fertilizantes ou em bebidas de cola) são restos de um antigo fundo marinho.

No ano passado, Nick Longrich, da Universidade de Bath, estudou um fragmento raro de um osso da mandíbula que foi descoberto nas minas de Sidi Chennane, em Oulad Abdoun Basin (perto da cidade de Khouribga e que corresponde a quase metade das reservas de fosfato de Marrocos).

Em colaboração com outros especialistas de Marrocos, França e Espanha, Longrich identificou o fragmento como pertencendo a um Abelissauro.

Os Abelissauros (em homenagem a Roberto Abel, do Museu Argentino de Ciências Naturais) eram carnívoros bípedes como o T.Rex e outros tiranossauros mas com um focinho mais curto e mais fraco e braços mais pequenos.

Dominavam o território que é hoje essencialmente o hemisfério sul."Não temos praticamente nenhum fóssil de dinossauros deste período de tempo em Marrocos, pode até ser o primeiro dinossauro do fim do Cretáceo em África", disse Nick Longrich.

Lusa

  • Encontrado corpo de mariscador desaparecido no Barreiro

    País

    O corpo do homem com cerca de 50 anos apareceu esta manhã junto ao Clube Naval do Barreiro, na mesma zona onde tinha desaparecido na noite deste sábado. A informação já foi confirmada à SIC pela Polícia Marítima, que adiantou que o corpo já foi levado para a morgue. O alerta foi dado por volta das 22:30 de ontem pelos companheiros de nacionalidade chinesa que estavam com a vítima na apanha de bivalves na margem sul do Tejo.

  • Mais de duas mil pessoas retiradas do fogo junto ao parque Doñana, no Sul de Espanha

    Mundo

    O incêndio florestal começou ainda na noite deste sábado na aldeia de Las Peñuelas de Moguer, na província de Huelva e obrigou à evacuação de várias localidades e à retirada de mais de duas mil pessoas, de vários alojamentos turísticos (incluindo o Parador de Mazagon, dois parques de campismo e um hotel). Foi ainda ativado o plano de emergência da província.

  • Portugal "precisa avançar no trabalho" para reduzir crédito malparado
    1:36

    Economia

    Bruxelas recomenda e insiste que o Governo português avance no trabalho para resolver o crédito malparado. Em entrevista à SIC e ao Expresso, o vice-Presidente da Comissão para o Euro e Estabilidade Financeira, Valdis Dombrovskis, adianta que Bruxelas está também a preparar um Plano de Ação ao nível europeu.

    Entrevista SIC/Expresso

  • Líder do Daesh abatido durante fuga

    Daesh

    Um líder do Daesh e o assistente foram abatidos pela polícia iraquiana, em Mossul. A notícia é avançada pela agência EFE que esclarece que os dois homens terão sido mortos enquanto fugiam do Oeste para Este da cidade iraquiana através do rio Tigre.