sicnot

Perfil

Mundo

Guterres diz que liberdade de imprensa é crucial para combater atual desinformação

Brendan McDermid

O secretário-geral da ONU, António Guterres, pediu esta quarta-feira aos líderes internacionais para defenderem uma imprensa livre e "o direito à verdade", salientando que a liberdade de imprensa é crucial para combater uma "desinformação predominante".

"Precisamos de líderes que defendam uma imprensa livre. Isto é crucial para combater a desinformação predominante", afirmou Guterres, numa breve mensagem divulgada por ocasião do Dia Internacional da Liberdade de Imprensa, assinalado hoje.

"E precisamos que todos defendam o nosso direito à verdade", reforçou.

No início da mensagem de vídeo, com cerca de 40 segundos, o secretário-geral das Nações Unidas mencionou que os jornalistas "vão aos lugares mais perigosos para dar voz aos que não têm voz".

O responsável salientou que os profissionais da comunicação social enfrentam na atualidade vários perigos: "difamação, violência sexual, detenções, ferimentos e, até, a morte".

"No Dia Internacional da Liberdade de Imprensa apelo ao fim de todas as medidas de repressão contra jornalistas. Porque uma imprensa livre promove a paz e a justiça para todos", reforçou o antigo primeiro-ministro português.

"Quando protegemos os jornalistas, as suas palavras e imagens podem mudar o nosso mundo", concluiu.

Pelo menos 93 jornalistas ou profissionais de órgãos de comunicação social foram mortos em ataques direcionados, bombas ou fogo cruzado durante o exercício da profissão em 2016, recordou hoje a Federação Internacional de Jornalistas (FIJ).

Num comunicado divulgado na página 'online' da organização, a FIJ destacou ainda que pelo menos 13 profissionais de órgãos de comunicação social perderam a vida em situações de violência desde o início do ano corrente.

Lusa

  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.

  • G7 reforça compromisso na luta contra o terrorismo
    2:11