sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos 8 mortos e 26 feridos em ataque suicida no Afeganistão

Omar Sobhani

Pelo menos sete civis e um atacante morreram e outras 26 pessoas ficaram feridas num atentado suicida à passagem de uma caravana da missão da NATO no Afeganistão, numa zona da alta segurança em Cabul.

A explosão ocorreu por volta das 7:45 locais (2:15 em Lisboa), no Distrito Policial 9, no centro da capital afegã, à passagem de uma caravana da NATO e "perto da embaixada dos Estados Unidos", disse à EFE o porta-voz da polícia de Cabul, Basir Mujahid.

Nenhum membro da Aliança Atlântica ficou ferido, acrescentou Mujahid.

Nenhum grupo armado reivindicou até esta manhã a autoria do atentado suicida.

Noutro ataque no mês passado na área de maior segurança de Cabul, cinco civis morreram e três pessoas ficaram feridas quando um suicida que seguia a pé tentou detonar os explosivos que transportava contra um veículo de funcionários do Governo no exterior do Palácio Presidencial.

Esse atentado foi reivindicado pelo grupo radical Daesh através de um comunicado difundido na Internet pela agência Amaq, órgão de propaganda do grupo.

O Governo do Afeganistão tem vindo a perder terreno face aos talibãs e outros grupos insurgentes desde o final da missão militar da Aliança Atlântica e atualmente apenas controla 57 % do país, segundo o inspetor especial geral para a Reconstrução do Afeganistão (SIGAR) do Congresso dos Estados Unidos.

Lusa

  • Autópsia à mulher baleada pela PSP contradiz agentes
    1:28

    País

    A mulher que morreu acidentalmente durante uma perseguição da PSP terá sido baleada no pescoço e o trio terá sido disparado por trás. Entretanto, segundo a imprensa, a PJ ainda não encontrou vestígios do tiroteio, entre os assaltantes do multibanco de Almada e a PSP.

  • Marinha dos EUA considera "absolutamente inaceitável" desenho de um pénis no céu

    Mundo

    Os cidadãos do Condado de Okanogan, em Washington, foram surpreendidos esta quinta-feira com o contorno de um pénis no céu. A imagem resultou de um rasto de condensação deixado por um avião militar norte-americano. A Marinha confirmou que um dos seus pilotos tinha desenhado a figura no ar e defendeu que a situação era "absolutamente inaceitável".