sicnot

Perfil

Mundo

Mais de 100 magistrados "próximos de Gülen" demitidos na Turquia

Charles Mostoller

As autoridades judiciais turcas demitiram esta sexta-feira mais de 100 magistrados suspeitos de pertencerem ao movimento do clérigo Fethullah Gülen, acusado por Ancara de ter urdido o golpe falhado de julho passado, noticiou a agência oficial Anadolu.

O Alto Conselho dos Juízes e Procuradores (HSYK) demitiu das suas funções 107 juízes e procuradores, precisou a Anadolu, elevando para 4.238 o número de magistrados afastados no âmbito das purgas iniciadas pelo regime do Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, após a tentativa de golpe de Estado de 15 de julho.

Os juízes e procuradores hoje demitidos das respetivas funções são, além disso, alvo de um mandado de detenção, acrescentou a agência de notícias oficial turca.

Na sequência do golpe abortado, as autoridades turcas iniciaram purgas a uma grande escala, nomeadamente nas fileiras do exército, da polícia e da justiça.

Mais de 47.000 pessoas foram encarceradas e mais de 100.000 funcionários públicos foram despedidos ou suspensos.

As purgas intensificaram-se mais ainda após a vitória de Erdogan num referendo constitucional sobre o reforço dos seus poderes, a 16 de abril.

Desde então, cerca de 13.000 pessoas, das quais 9.000 polícias, foram suspensas e 1.000 polícias foram detidos.

A mais recente vaga de despedimento de magistrados ocorre quando o setor judicial, e nomeadamente o HSYK, está em plena restruturação no seguimento do referendo constitucional.

A reforma aprovada nessa consulta popular prevê a transferência de todo o poder executivo para o Presidente, que poderá emitir decretos, o desaparecimento do cargo de primeiro-ministro, mas também a alteração da composição do HSYK.

O número de membros do HSYK, que será em breve rebatizado como HSK, passará nas próximas semanas de 22 para 13, sete dos quais serão nomeados pelo parlamento e os restantes seis, direta ou indiretamente, pelo Presidente.

Opositores de Erdogan, acusado de deriva autocrática, veem neste dispositivo um instrumento que permitirá ao chefe de Estado controlar a composição do HSYK, que está encarregado de nomear e destituir os funcionários do sistema judicial.

Os dirigentes turcos rejeitam esta acusação e defendem que a revisão constitucional permite, pelo contrário, criar separações claras entre os poderes.

Lusa

  • Jovens adoptados e filha do líder da IURD com versões diferentes dos acontecimentos
    4:06

    País

    Os jovens adoptados e a filha do bispo Edir Macedo, que alegadamente os adoptou, têm versões diferentes sobre o que aconteceu. Vera e Luís Katz garantem que foram adoptados por uma família norte-americana, com que viveram até aos 20 anos. Viviane Freitas, filha do líder da Igreja Universal do Reino de Deus, conta que foi mãe das crianças durante três anos, apesar de lhe ter sido negada a adopção.

  • Cabecilha da seita Verdade Celestial é "mentiroso, egocêntrico e psicótico"
    2:22

    País

    O cabecilha da seita "Verdade Celestial" foi condenado a 23 anos de pena de prisão por abusos sexuais de crianças e adolescentes. O juiz diz que o cabecilha do grupo era mentiroso patológico, egocêntrico, impulsivo e com personalidade psicótica. Dos oito acusados, duas mulheres foram absolvidas e seis arguidos foram condenados a penas efetivas. A rede de abusadores foi desmantelada há dois anos, numa quinta de Palmela.

  • Mau tempo obriga ao cancelamento de centenas de voos na Europa
    1:21
  • Antigos quadros da Facebook declaram-se preocupados com efeitos da rede social

    Mundo

    Alguns dos antigos quadros da empresa Facebook estão a começar a exprimir sérias dúvidas sobre a rede social que ajudaram a criar, foi noticiado. A Facebook explora "uma vulnerabilidade na psicologia humana" para criar dependência entre os seus utilizadores, afirmou o primeiro presidente da empresa, Sean Parker, num fórum público.