sicnot

Perfil

Mundo

Agência de Proteção Ambiental dos EUA reduz influência de cientistas

A Agência de Proteção do Ambiente (EPA, na sigla em inglês) vai prescindir, nos assessores, de entre cinco e nove cientistas e admite substitui-los por representantes das indústrias dos combustíveis fósseis, como petróleo e carvão.

A medida, confirmada hoje por um porta-voz da EPA à agência noticiosa Efe, é mais um passo nos objetivos da Casa Branca de alterar a atuação da agência, encarregada de velar pela defesa do ambiente, para que dê prioridade à criação de emprego em indústrias como a do carvão, em detrimento da luta contra as alterações climáticas.

A agência informou na sexta-feira vários membros da Junta de Assessores Científicos, integrada por 18 peritos que analisam as investigações da EPA para determinar se têm rigor suficiente, que o seu apontamento por três anos tinha terminado e não ia ser renovado.

O porta-voz da EPA, J.P. Freire, não quis confirmar à Efe quantos cientistas iriam ser removidos da Junta, um número que o diário The New York Times quantificou em cinco e o Washington Post em nove.

Segundo Freire, a agência não quer dar por garantir automaticamente a presença dos cientistas designados para a Junta pelo Presidente Barack Obama, preferindo "assegurar-se de que considera de forma justa" as "centenas de candidaturas" que a EPA recebeu para integrar esse órgão consultivo e escolher os melhores qualificados.

Freire confirmou assim que o administrador da EPA, Scott Pruitt, vai considerar a possibilidade de nomear para a Junta técnicos vinculados às indústrias cuja contaminação a agência supostamente deve regular, o que alarmou várias organizações científicas e de proteção do ambiente.

"Isto forma parte de um plano para que a ciência não se intrometa nos esforços (da Casa Branca) para eliminar as regulações" na indústria dos combustíveis fósseis, disse o presidente da União dos Cientistas Preocupados (UCS, na sigla em Inglês), Ken Kimmell, ao New York Times.

Lusa

  • "Hoje vi chover lume"
    3:57
  • A Minha Outra Pátria
    29:53
  • Milhares de clientes da CGD vão pagar quase 5€/ mês por comissões de conta
    1:24

    Economia

    Milhares de clientes da Caixa Geral de Depósitos (CGD), que até aqui estavam isentos de qualquer pagamento, vão começar a pagar quase 5 euros por mês por comissões de conta. A medida abrange também reformados e pensionistas e entra em vigor já em setembro. Ainda assim, os clientes com mais de 65 anos e uma pensão inferior a 835 euros por mês continuam isentos.

  • O apelo da adolescente arrependida de ir lutar pelo Daesh

    Daesh

    Uma adolescente alemã que desapareceu da casa dos pais, no estado da Saxónia, esteve entre os vários militantes do Daesh detidos este fim de semana na cidade iraquiana de Mossul. Arrependida do rumo que deu à sua vida, deixou um apelo emocionado em que expressa, repetidamente, a vontade de "fugir" e voltar para casa.

    SIC