sicnot

Perfil

Mundo

Damasco recusa forças estrangeiras nas futuras quatro zonas seguras

Sana Sana

O Governo sírio recusou esta segunda-feira que forças estrangeiras, sob supervisão das Nações Unidas, patrulhem as quatro zonas seguras no país, na sequência de um acordo com a Rússia, Irão e Turquia.

O ministro sírio dos Negócios Estrangeiros, Walid al-Moallem, afirmou aos jornalistas ser "prematuro" falar sobre a aplicação do acordo no terreno, mas garantiu que "não haverá presença de forças internacionais, supervisionadas pelas Nações Unidas".

"A Rússia clarificou que haverá policia militar e centros de observação", acrescentou o governante, não especificando quem será a polícia militar.

Al-Moallem sublinhou ainda que as forças governamentais vão responder "decisivamente" a qualquer violação por parte dos rebeldes.

Entretanto, o mediador da ONU para o conflito, Staffan de Mistura, informou que a próxima ronda de negociações de paz entre o Governo da Síria e a oposição decorrerá no próximo dia 16 em Genebra.

As Nações Unidas esperam que esta ronda e as seguintes façam avançar uma solução diplomática para o conflito sírio, com base no quadro aprovado pelo Conselho de Segurança, sobre o qual De Mistura prevê informar antes de final deste mês.

Lusa