sicnot

Perfil

Mundo

México é o país mais mortífero do mundo a seguir à Síria

Imelda Medina

O México foi o país que registou mais mortes, a seguir à Síria, em 2016, indicou na terça-feira, em Londres, o Instituto Internacional para os Estudos Estratégicos (IISS).

"Os homicídios intencionais em 2016 no México fizeram 23.000 vítimas", disse Antonio Sampaio, especialista do IISS.

A Síria, país mergulhado numa guerra civil desde 2011, foram contabilizados 60.000 assassínios, acrescentou. "É muito raro a violência criminal atingir níveis de um conflito armado", afirmou.

É o que está a acontecer no triângulo norte da América Central (Honduras, Guatemala, El Salvador), com 16 mil homicídios, e em particular no México, considerou o especialista.

Com efeito, a taxa de homicídios diminuiu nos referidos três países, mas não no México que registou um aumento de 11% no número de homicídios entre 2015 e 2016.

Para o IISS, a onda de violência no México foi causada pela decisão, em dezembro de 2006, do então Presidente mexicano Felipe Calderon de declarar guerra ao tráfico de droga.

"O conflito resultante trouxe miséria ao México: 105.000 pessoas foram assassinadas intencionalmente entre essa data e novembro de 2012", afirmou.

O aumento da violência entre 2015 e 2016 deveu-se a uma corrida ao armamento entre cartéis, dado que "o objetivo desses grupos criminosos passa por afirmar a autonomia em áreas urbanas com atividades ilícitas como tráfico de cocaína, produção de heroína, e cada vez mais laboratórios de drogas sintéticas", explicou o mesmo especialista do IISS.

Este cenário juntou-se a um contexto de "fraqueza institucional e de corrupção generalizada que infestou o Estado mexicano", concluiu.

Lusa

  • Peritos mundiais debatem doenças neurodegenerativas em Lisboa
    3:04

    País

    Especialistas de mais de 20 países na área das doenças neurodegenerativas estão reunidos esta semana na Fundação Champalimaud, em Lisboa. A cimeira, realizada em parceria com a Fundação Rainha Sofia, de Espanha, é dedicada aos progressos na investigação e nos cuidados de saúde em doenças como o Alzheimer. As demências efetam 50 milhões de pessoas em todo o mundo, número que deverá triplicar em 2050.

  • "O Benfica é atacado e não há ninguém que fale e que dê a cara?"
    6:05
    O Dia Seguinte

    O Dia Seguinte

    2ªFEIRA 21:50

    Depois do artigo publicado no blog "Geração Benfica", Rui Gomes da Silva reiterou esta segunda-feira, em O Dia Seguinte da SIC Notícias, algumas das críticas à estrutura do clube. O antigo vice-presidente do Benfica defendeu Luís Filipe Vieira, Rui Vitória e Nuno Gomes. E acusou novamente Rui Costa de passividade e os vice-presidentes de não darem a cara. 

  • Governo aconselha pais a fazerem queixa de manuais em mau estado
    2:31