sicnot

Perfil

Mundo

Maduro pagou 10,1 milhões € a brasileiros na campanha de reeleição de Chávez

Marco Bello

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, entregou 11 milhões de dólares (10,1 milhões de euros) em dinheiro não declarado para pagar a campanha de reeleição do ex-Presidente Hugo Chávez em 2012, disse a empresária brasileira Mónica Moura.

Sócia da empresa de marketing político que fez as últimas três campanhas presidenciais do Partido dos Trabalhares (PT), do Brasil, Monica Moura deu detalhes sobre o suposto acerto com o Presidente Venezuelano, num acordo de delação premiada que firmou com investigadores da Operação Lava Jato.

Num dos depoimentos que prestou, Mónica Moura relatou que o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu ao seu marido e sócio, João Santana, que fizesse a campanha de reeleição de Hugo Cháves.

O casal cobrou 35 milhões de dólares pelo trabalho. Mónica Moura afirmou que 11 milhões de dólares deste total foram-lhe entregues em dinheiro, na cidade de Caracas, por Nicolás Maduro, na sede da Chancelaria venezuelana.

A empresária narrou que após receber o dinheiro foi escoltada até uma produtora montada provisoriamente em Caracas, para realizar o trabalho de marketing publicitário para a campanha de Hugo Chávez.

Segundo Mónica Moura, Nicolás Maduro, na época chanceler da Venezuela, exigiu que a maior parte destes pagamentos referentes à campanha fossem feitos com dinheiro não declarado.

Além deste montante, as empreiteiras brasileiras Odebrecht e Andrade Gutierrez teriam pago à empresa do casal, respectivamente, sete milhões de dólares (6,4 milhões de euros) e dois milhões de dólares (1,8 milhões de euros) através de depósito na Suíça pela campanha de reeleição de Hugo Chavéz.

Os termos do acordo de delação premiada de Mónica Moura foram revelados hoje, após o juiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), retirar o sigilo dos depoimentos.

Lusa

  • "A nossa lei tem demasiados buracos"
    0:44

    País

    Rui Cardoso acusa a classe política de não querer resolver os problemas da corrupção em Portugal. Entrevistado na Edição da Noite da SIC Notícias o magistrado do Ministério Público considera que ainda há um longo caminho a percorrer no combate à corrupção.

  • Salah Abdeslam deixa cadeira vazia na leitura da sua sentença
    2:05

    Mundo

    O único suspeito vivo dos ataques de Paris em 2015 foi esta segunda-feira condenado a 20 anos de prisão por um tribunal belga, num processo paralelo: um tiroteio em março de 2016, em Bruxelas. Tanto Salah Abdeslam como o cúmplice não quiseram estar na leitura da sentença. O julgamento de Salah Abdeslam pelos ataques de Paris só deverá acontecer no próximo ano, em França.

  • Beyoncé e a irmã caem e o vídeo torna-se viral

    Cultura

    Beyoncé voltou este fim de semana a subir ao palco do Coachella, depois de ter atuado na primeira semana do festival que decorreu no deserto da Califórnia, nos EUA. A cantora norte-americana voltou a brilhar, mas foi o momento em que caiu no palco com a irmã, Solange, que acabou por se tornar viral.

    SIC

  • Cientistas querem sequenciar genomas de 15 milhões de espécies

    Mundo

    Um consórcio internacional de cientistas, que por enquanto não inclui portugueses, propõe-se sequenciar, catalogar e analisar os genomas (conjuntos de informação genética) de 15 milhões de espécies, uma tarefa que levará dez anos a fazer, foi divulgado esta segunda-feira.