sicnot

Perfil

Mundo

Dois mil computadores afetados no Japão pelo ciberataque

O porta-voz da Hitachi, Yuko Tainiuchi, disse que o serviço de correio eletrónico funcionou de forma mais lenta, com algumas mensagens a não serem entregues e ficheiros que não puderam ser abertos.

Toru Hanai/ Reuters

O Japão juntou-se às vítimas do ciberataque que atingiu 150 países, com 2 mil computadores afetados em 600 localizações do país, incluindo as empresas Nissan e Hitachi.

A Nissan Motor confirmou que algumas das unidades foram atingidas, mas não se registou um impacto significativo no negócio.

O porta-voz da Hitachi, Yuko Tainiuchi, disse que o serviço de correio eletrónico funcionou de forma mais lenta, com algumas mensagens a não serem entregues e ficheiros que não puderam ser abertos.

A empresa disse acreditar que os problemas estão relacionados com o ciberataque, mas não recebeu qualquer pedido de 'resgate'. A companhia está agora a instalar um 'software' para resolver os problemas.

O centro de coordenação de resposta a emergências de computadores japonês, uma organização sem fins lucrativos que está a prestar apoio às vítimas dos ataques, indicou que dois mil computadores em 600 localizações no Japão foram até agora afetados.

Um ataque informático de grandes dimensões à escala internacional atingiu principalmente empresas de telecomunicações e energia mas também a banca, segundo a multinacional de serviços tecnológicos Claranet.

Em Portugal, a empresa de energia EDP cortou os acessos à Internet da rede para prevenir eventuais ataques informáticos e garantiu que não foi registado qualquer problema, já a Portugal Telecom alertou os seus clientes para o vírus perigoso ('malware') a circular na Internet, pedindo aos utilizadores que tenham cautela na navegação na rede e na abertura de anexos no 'email'.

A PT Portugal ativou "todos os planos de segurança" contra um ataque informático a nível internacional e garantiu que a rede e os serviços "não foram afetados".

A Polícia Judiciária portuguesa está a acompanhar e a tentar perceber o alcance do ciberataque que tem como alvo empresas, segundo o diretor da Unidade Nacional de Combate ao Cibercrime da PJ.

No Reino Unido, foram reportados importantes problemas informáticos em nospitais do serviço de saúde britânico.Em Espanha, a multinacional de telecomunicações Telefónica foi obrigada a desligar os computadores da sede em Madrid, depois de detetar um vírus informático que bloqueou alguns equipamentos.

Este tipo de vírus surge habitualmente por correio eletrónico de "origem desconhecida", com documento em anexo e que o utilizador abre, por engano.

Lusa

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.