sicnot

Perfil

Mundo

Erdogan em Washington tenta aproximação a Trump

Reuters

O chefe de Estado da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, reúne-se hoje pela primeira vez com o Presidente dos EUA, Donald Trump, com o objetivo de reaproximar os dois países e convencê-lo a não fornecer armamento às milícias curdas da Síria.

"Encaro esta visita como um novo começo na relação turco-norte-americana", disse Erdogan antes da deslocação a Washington, que se prevê complicada para os interesses turcos.

A relação entre a Turquia e os Estados Unidos degradou-se na sequência da decisão de Washington em fornecer armamento pesado às milícias curdas da Síria Unidades de Proteção Popular (YPG) para a ofensiva contra Raqa, "capital" do grupo jihadista Daesh.

A Turquia define o YPG como uma formação "terrorista" pelos seus vínculos à guerrilha do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) que atua no sudeste da Turquia, onde se concentra a maioria da população curda do país.

Os Estados Unidos e a Turquia são aliados na NATO e na Coligação anti-jihadista, mas Ancara tem demonstrado crescente preocupação pelos ganhos territoriais das milícias curdas na vizinha Síria e a eventualidade de garantirem um consistente grau de autonomia ou a formação de uma entidade administrativa própria.

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.