sicnot

Perfil

Mundo

Antigo diretor do FBI lidera investigação sobre ligações entre Trump e Rússia

Jonathan Ernst

O Departamento de Justiça nomeou Robert S. Mueller, antigo Diretor do FBI, como Conselheiro Especial para supervisionar a investigação sobre eventuais ligações entre a equipa de Trump na campanha de 2016 e a Rússia.

Donald Trump tem enfrentado várias críticas e polémicas desde que tomou posse na Casa Branca. A polémica mais recente que arrasou Washington diz respeito à demissão do ex-diretor do FBI James Comey e à divulgação do memorando que Comey escreveu após uma reunião com o Presidente dos EUA, em fevereiro, na Sala Oval.

Segundo o memorando, o Presidente dos EUA, Donald Trump, terá pedido ao ex-diretor do FBI James Comey para terminar as investigações sobre o Conselheiro de Segurança Nacional Michael Flynn.

O pedido terá sido feito durante uma reunião na Casa Branca, em fevereiro, segundo um memorando que James Comey escreveu após o encontro.

"Considero que é do interesse público nomear um Conselheiro Especial para assumir a responsabilidade sobre este assunto", disse o procurador-geral adjunto Rod Rosenstein, citado pelo The New York Times.

O antigo diretor do FBI e atual advogado Robert S. Mueller deverá renunciar ao cargo de advogado no escritório WilmerHale.

  • Trump pode ser destituído?
    3:04

    Mundo

    Em dois meses de mandato, têm sido muitas as vozes críticas a assumir publicamente o desejo de destituir Donald Trump. Depois da revelação de que o Presidente dos Estados Unidos da América terá tentado pressionar o ex-diretor do FBI a abandonar a investigação sobre as ligações à Rússia, há outras suspeitas que podem justificar, para alguns, o início de um processo de impeachment. A jornalista da SIC Tânia Mateus explica o que pode acontecer.

  • "É mais um notável tiro no pé de Passos Coelho"
    4:04

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite, a polémica em torno de Pedro Passos Coelho, depois do presidente do PSD ter pedido desculpas por ter "usado informação não confirmada", ao falar na existência de suicídios, depois desmentidos, como consequência da falta de apoio psicológico na tragédia de Pedrógão Grande. Sousa Tavares considera que Passos Coelho deu "mais um tiro no pé" e defende que o líder da oposição "está notoriamente desgastado" e "caminha para uma tragédia eleitoral autárquica".

    Miguel Sousa Tavares

  • Este texto é sobre o bom senso. O bom senso que faltou a Passos Coelho quando, esta manhã, depois de uma visita pelas áreas ardidas de Pedrógão Grande, decidiu falar em suicídios. Passos não se referiu a tentativas, mas sim a atos consumados. Deu certezas. Disse que tinha conhecimento de “pessoas que puseram termo à vida” porque “que não receberam o apoio psicológico que deviam.”

    Bernardo Ferrão

  • Simplex+2017 promete simplificar burocracia
    1:08

    País

    Já está online o novo Simplex+2017, que vai simplificar a vida dos cidadãos, empresas e administração pública. Pagar impostos com cartão de crédito e ter o cartão de cidadão ou a carta de condução no telemóvel são alguns exemplos do que está previsto.

  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.