sicnot

Perfil

Mundo

Casa Branca evita responder a oferta de Putin sobre transcrições

POOL New

A Casa Branca evitou esta quarta-feira responder à oferta do Presidente russo, Vladimir Putin, que se dispôs a entregar ao Congresso norte-americano a transcrição da reunião entre Donald Trump e o chefe da diplomacia russa, na semana passada.

O porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, não quis responder à pergunta de um jornalista sobre se o Presidente norte-americano aprovaria que Putin enviasse essa transcrição ao Congresso.

"Não estou ao corrente de nada disso", limitou-se a dizer Spicer, inquirido sobre se a Casa Branca sabia que os russos estavam a tirar notas ou a gravar a conversa entre Donald Trump e Serguei Lavrov.

Nessa reunião, realizada há uma semana na Sala Oval, Trump partilhou com Lavrov informação classificada como secreta, fornecida - segundo vários meios de comunicação - por Israel, sobre um plano do grupo jihadista Daesh para usar computadores portáteis com o fim de atentar contra aviões em voo.

Trump admitiu na terça-feira na rede social Twitter que partilhou com a Rússia alguma informação relativa ao terrorismo nessa reunião e garantiu que tem "o direito absoluto" a fazê-lo, enquanto a Casa Branca insistia que Trump não fizera nada de "inadequado", nem pusera em risco a segurança nacional.

Spicer também não respondeu às perguntas sobre a informação publicada na terça-feira pelo diário The New York Times revelando que Trump pediu em fevereiro ao então diretor do FBI (polícia federal norte-americana), James Comey, que pusesse fim a uma investigação sobre os laços com a Rússia do seu ex-conselheiro de segurança nacional, Michael Flynn.

"O Presidente foi muito claro quanto ao facto de a versão publicada não ser uma descrição precisa de como as coisas aconteceram (na reunião entre Trump e Comey, em fevereiro). Não vou fazer mais comentários a esse respeito", disse Spicer.

O porta-voz pronunciou-se desta forma apesar de Trump não ter, até agora, emitido qualquer comentário sobre a revelação do jornal sobre o afastamento de Comey.

Foi a Casa Branca que reagiu, na terça-feira, ao artigo, num comunicado não atribuível a qualquer dos seus porta-vozes, em que assegurava que Trump "nunca pediu a Comey nem a ninguém que pusesse fim à investigação" que incide sobre Flynn, e que essa versão "não é uma reprodução verídica nem exata" da conversa.

Lusa

  • Putin responde com ironia à polémica em torno de Donald Trump
    3:25

    Mundo

    O Presidente russo parodiou a controvérsia criada em torno da informação confidencial que Donald Trump terá transmitido ao ministro russo dos Negócios Estrangeiros. Vladimir Putin mostrou-se até disponível para revelar a transcrição das conversas entre Trump e Lavrov, na Sala Oval. As sucessivas polémicas na Casa Branca já levaram um congressista do Texas a pedir a destituição de Trump.

  • Mais de 1600 ações de fiscalizações a IPSS em dois anos
    1:05

    Expresso da Meia Noite

    Nos últimos dois anos, o Estado efetuou mais de 1600 ações de fiscalização a Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) das quais resultaram mais de 70 destituições e 80 participações ao Ministério Público (MP). Os números foram avançados pela secretária de Estado da Segurança Social, Cláudia Joaquim, no programa Expresso da Meia-noite, na SIC Notícias.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • Pedrógão Grande, seis meses depois - documentário Expresso
    0:29
  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23
  • Ilhas Selvagens são um tesouro no Atlântico que é preciso preservar
    2:33