sicnot

Perfil

Mundo

Casa Branca evita responder a oferta de Putin sobre transcrições

POOL New

A Casa Branca evitou esta quarta-feira responder à oferta do Presidente russo, Vladimir Putin, que se dispôs a entregar ao Congresso norte-americano a transcrição da reunião entre Donald Trump e o chefe da diplomacia russa, na semana passada.

O porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, não quis responder à pergunta de um jornalista sobre se o Presidente norte-americano aprovaria que Putin enviasse essa transcrição ao Congresso.

"Não estou ao corrente de nada disso", limitou-se a dizer Spicer, inquirido sobre se a Casa Branca sabia que os russos estavam a tirar notas ou a gravar a conversa entre Donald Trump e Serguei Lavrov.

Nessa reunião, realizada há uma semana na Sala Oval, Trump partilhou com Lavrov informação classificada como secreta, fornecida - segundo vários meios de comunicação - por Israel, sobre um plano do grupo jihadista Daesh para usar computadores portáteis com o fim de atentar contra aviões em voo.

Trump admitiu na terça-feira na rede social Twitter que partilhou com a Rússia alguma informação relativa ao terrorismo nessa reunião e garantiu que tem "o direito absoluto" a fazê-lo, enquanto a Casa Branca insistia que Trump não fizera nada de "inadequado", nem pusera em risco a segurança nacional.

Spicer também não respondeu às perguntas sobre a informação publicada na terça-feira pelo diário The New York Times revelando que Trump pediu em fevereiro ao então diretor do FBI (polícia federal norte-americana), James Comey, que pusesse fim a uma investigação sobre os laços com a Rússia do seu ex-conselheiro de segurança nacional, Michael Flynn.

"O Presidente foi muito claro quanto ao facto de a versão publicada não ser uma descrição precisa de como as coisas aconteceram (na reunião entre Trump e Comey, em fevereiro). Não vou fazer mais comentários a esse respeito", disse Spicer.

O porta-voz pronunciou-se desta forma apesar de Trump não ter, até agora, emitido qualquer comentário sobre a revelação do jornal sobre o afastamento de Comey.

Foi a Casa Branca que reagiu, na terça-feira, ao artigo, num comunicado não atribuível a qualquer dos seus porta-vozes, em que assegurava que Trump "nunca pediu a Comey nem a ninguém que pusesse fim à investigação" que incide sobre Flynn, e que essa versão "não é uma reprodução verídica nem exata" da conversa.

Lusa

  • Putin responde com ironia à polémica em torno de Donald Trump
    3:25

    Mundo

    O Presidente russo parodiou a controvérsia criada em torno da informação confidencial que Donald Trump terá transmitido ao ministro russo dos Negócios Estrangeiros. Vladimir Putin mostrou-se até disponível para revelar a transcrição das conversas entre Trump e Lavrov, na Sala Oval. As sucessivas polémicas na Casa Branca já levaram um congressista do Texas a pedir a destituição de Trump.

  • "É mais um notável tiro no pé de Passos Coelho"
    4:04

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite, a polémica em torno de Pedro Passos Coelho, depois do presidente do PSD ter pedido desculpas por ter "usado informação não confirmada", ao falar na existência de suicídios, depois desmentidos, como consequência da falta de apoio psicológico na tragédia de Pedrógão Grande. Sousa Tavares considera que Passos Coelho deu "mais um tiro no pé" e defende que o líder da oposição "está notoriamente desgastado" e "caminha para uma tragédia eleitoral autárquica".

    Miguel Sousa Tavares

  • Este texto é sobre o bom senso. O bom senso que faltou a Passos Coelho quando, esta manhã, depois de uma visita pelas áreas ardidas de Pedrógão Grande, decidiu falar em suicídios. Passos não se referiu a tentativas, mas sim a atos consumados. Deu certezas. Disse que tinha conhecimento de “pessoas que puseram termo à vida” porque “que não receberam o apoio psicológico que deviam.”

    Bernardo Ferrão

  • Simplex+2017 promete simplificar burocracia
    1:08

    País

    Já está online o novo Simplex+2017, que vai simplificar a vida dos cidadãos, empresas e administração pública. Pagar impostos com cartão de crédito e ter o cartão de cidadão ou a carta de condução no telemóvel são alguns exemplos do que está previsto.

  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.