sicnot

Perfil

Mundo

Morreu um dos primeiros astronautas soviéticos

Da esquerda para a direira: Thomas Stafford, Yelena a filha de Yuri Gagarin, Alexei Leonov e Viktor Gorbatko

Alexander Zemlianichenko

Um dos primeiros astronautas soviéticos, Viktor Gorbatko, camarada de treino de Iuri Gagarin, morreu aos 92 anos, anunciou hoje a agência espacial russa, Roskosmos.

Nascido em 1934 no sul da Rússia, Viktor Gorbatko entrou aos 19 anos para a escola de aviação militar russa com o objetivo de se tornar piloto, a sua paixão.

Em 1960, foi selecionado entre mais de 3 mil candidatos para se treinar secretamente com vista à primeira missão espacial tripulada da história.

"Fui convocado pelo meu comandante, que começou por me fazer assinar uma carta onde eu me comprometi a não revelar o conteúdo da conversa que viria a ter", revelou Gorbatko à agência France Presse numa entrevista concedida em 2001.

"Depois perguntaram-me se queria voar mais alto do que um avião. Percebi logo do que estavam a falar e aceitei imediatamente", acrescentou.

Entre os camaradas de treino de Gorbatko, encontrava-se Iuri Gagarin, que viria a realizar o primeiro voo no espaço em 12 de abril de 1961, a bordo da nave Vostok-1.

Viktor Gorbatko efetuou três voos espaciais, em 1969, 1977 e 1980, e alcançou o posto de general. Foi condecorado por duas vezes com o título de "Herói da União Soviética", em resultado dos seus voos a bordo das naves espaciais Soyuz.

Viktor Gorbatko será enterrado esta sexta-feira no cemitério federal militar de Mytischi, a norte de Moscovo, de acordo com a Roskosmos.

Lusa

  • PS vai continuar a procurar entendimentos à esquerda
    1:38
  • 22 mortos devido a gripe H1N1 no Equador

    Mundo

    Uma epidemia de gripe H1N1 provocou a morte de 22 pessoas no Equador, onde estão diagnosticados perto de 500 casos, anunciou esta segunda-feira o vice-ministro da Saúde, Carlos Duran.

  • Papa pede perdão a vítimas de abusos por ter usado expressão "menos feliz"
    1:21

    Mundo

    No final da visita à América Latina, já no avião de regresso a Roma, o Papa Francisco pediu desculpa às vítimas de abusos sexuais no Chile. O líder da Igreja católica considerou que utilzou uma expressão menos "feliz" quando saiu em defesa do bispo Juan Barros, exigindo "provas" a quem o acusa de não ter agido.

  • Os três pontos de Ronaldo
    1:16
  • Decifrado pergaminho encontrado há 50 anos

    Mundo

    Investigadores israelitas reconstituíram e decifraram um dos dois manuscritos de pergaminhos do Mar Morto que nunca tinham sido interpretados desde que foram descobertos há meio século, anunciou a universidade israelita de Haifa.

  • Refeição de 1.100 euros em Veneza

    Mundo

    O centro de Veneza oferece os mais variados restaurantes. Com menu obrigatório, sem menu, com taxas, sem taxas, sentando ou em pé. Depois há aqueles restaurantes que cobram 1.100 euros por cinco pratos acompanhados por água. O caso aconteceu com quatro turistas japoneses, que depois de pagarem a conta, apresentaram queixa às autoridades. O presidente da Câmara da cidade italiana já disse que ia investigar a situação e, caso se confirmasse, prometeu que iria castigar os responsáveis.

    SIC