sicnot

Perfil

Mundo

Rei da Holanda escondeu part-time durante 20 anos

NATASCHA LIBBERT HANDOUT

Há quem mantenha segredos durante quase toda a sua vida. O rei da Holanda conseguiu manter o seu segredo durante 21 anos. Willem-Alexander anunciou esta quarta-feira que teve um part-time como piloto, ao mesmo tempo que desempenhava as funções da realeza.

O rei trabalhou na companhia aérea holandesa KLM com aviões de passageiros e, antes disso, na Martinair, dedicada ao transporte de mercadorias.

Como aviador, Willem-Alexander trabalhava cerca de duas vezes por mês, sempre como co-piloto. Na entrevista em que anunciou o seu part-time, confessou que voar era um passatempo, que o deixava esquecer-se dos seus deveres reais, e focar-se noutras coisas.

NATASCHA LIBBERT HANDOUT

"Tens um avião, passageiros e tripulação. És responsável por eles", explicou a um jornal local, citado pelo The Guardian. "Não podes levar os teus problemas da terra para os céus. Isso, para mim, é a coisa mais relaxante acerca de voar."

NATASCHA LIBBERT HANDOUT

Não era segredo nenhum que Willem-Alexander pilotava aviões da KLM, de vez em quanto. O que não se sabia era que o rei da Holanda tinha um emprego em part-time na companhia aérea.

O rei admitiu que raramente era reconhecido pelos passageiros, visto que a segurança se tornou muito mais apertada desde o 11 de setembro. Mesmo quando fazia anúncios para os passageiros, como co-piloto, o rei não precisava de anunciar o seu nome.

Daí, ter conseguido guardar o segredo durante tantos anos.

  • DIRETO: Portuguesa entre os 14 mortos dos atentados na Catalunha

    Ataque em Barcelona

    Uma das 13 vítimas mortais do atentado de ontem em Barcelona é portuguesa e há uma outra portuguesa desaparecida. Entretanto, uma pessoa morreu e cinco suspeitos foram abatidos num segundo ataque esta madrugada em Cambrils. As buscas centram-se num nome: Moussa Oukabir. Siga aqui as últimas informações, ao minuto.

    Em atualização

  • O momento em que os suspeitos foram abatidos em Cambrils
    2:35
  • Driss Oukabir: suspeito do atentado ou vítima de roubo de identidade?
    2:40

    Ataque em Barcelona

    Um dos dois suspeitos, do ataque nas Ramblas, detidos pela polícia foi inicialmente identificado como Driss Oukabir, um homem de 28 anos. Mais tarde, um homem com o mesmo nome apresentou-se numa esquadra em Girona, a mais de 100 quilómetros do local do atropelamento afirmando que lhe tinha sido roubada a identificação. De acordo com alguma imprensa espanhola, poderá ter sido o irmão, Moussa Oukabir, um jovem de 18 anos que vive em Barcelona, como explicou também Nuno Rogeiro, comentador da SIC.

  • "O abandono provoca incêndios desta dimensão"
    0:55

    País

    O antigo vereador da Câmara de Mação José Silva acredita que a desertificação do interior também é, em parte, responsável pelos incêndios. Segundo José Silva, Mação tem cada vez menos habitantes e é por essa razão que os terrenos são deixados ao abandono.

  • Mação perdeu 80% da área florestal
    3:39
  • Ágata candidata-se à Câmara de Castanheira de Pera
    3:42