sicnot

Perfil

Mundo

Turquia promete atacar curdos que ameacem a segurança do país

Umit Bektas

O Presidente da Turquia Recep Erdogan disse esta quinta-feira que não vai participar em operações militares na Síria que incluam combatentes curdos e que promete atacá-los caso ameacem a segurança da Turquia.

Dois dias depois de conhecer o Presidente norte-americano, Recep Tayyip Erdogan, falou em Istambul, onde criticou a decisão dos EU de se aliar a "organizações terroristas" para a operação de captura de Raca (cidade do centro-norte da Síria e capital do Daesh).

"Nós dissemos que não estaríamos numa operação consigo [com Donald Trump] se se aliasse a organizações terroristas e, por isso, dizemos boa sorte", disse o chede de Estado turco.

"Já estamos a dizer com antecedência as nossas regras de engajamento, nós vamos dar um passo e não vamos discutir isso ou consultar alguém. Não temos tempo a perder", acrescentou.

O ministro dos Negócios Estrangeiros turco, Mevlut Cavusoglu, disse, também, que o enviado especial do Presidente dos Estados Unidos (EU) para a Coalizão Global contra o Daesh (grupo extremista) do Iraque e do Levante, Brett McGurk, devia ser retirado do cargo por, supostamente, apoiar os curdos.

A porta-voz do departamento de Estado dos EU, Heather Nauert, respondeu, dizendo que o enviado especial fez um "tremendo trabalho" na coordenação e liderança da coalização internacional, e que tem o apoio da Casa Branca e do secretário de Estado, Rex Tillerson.

Com Lusa

  • "Não há nenhuma meta com Bruxelas", garante Centeno no Parlamento
    0:57

    Economia

    O ministro das Finanças afirma que o Programa de Estabilidade é debatido em Lisboa e não em Bruxelas.Esta manhã, no Parlamento, Mário Centeno assegurou ainda que as metas são as mesmas com que se comprometeu no programa do Governo e garante que não há nenhuma meta acordada com Bruxelas.