sicnot

Perfil

Mundo

Damasco e Moscovo condenam agressão da coligação internacional contra forças sírias

A Síria e a Rússia condenaram hoje um bombardeamento da coligação liderada pelos Estados Unidos contra as forças sírias no sudeste do país na quinta-feira, com Damasco a assegurar que "não se deixará indimidar".

"A dita coligação atacou ontem às 16:30 (13:30 TMG) uma posição das forças armadas árabes sírias na estrada de Al-Tanaf, na região síria de Badia, matando vários mártires e causando estragos materiais", precisou uma fonte militar síria, citada pela agência oficial síria, Sana.


A Rússia, aliada de Damasco, qualificou hoje o bombardeamento como "inaceitável", de acordo com um alto responsável da diplomacia russa citado em Genebra pelas agências russas.


O ataque visou um comboio de "forças" apoiantes do exército sírio, de acordo com um porta-voz da coligação internacional, o coronel norte-americano Ryan Dillon, citado pela agência France-Presse na passada quinta-feira.


Um segundo responsável norte-americano disse, sem precisar, que se tratava "provavelmente" de milícias xiitas.
De acordo com o Observatório Sírio dos Direitos Humanos, oito membros de milícias pró-governamentais, "maioritariamente não-sírios", foram mortos no ataque.


A fonte militar síria sublinhou que "as forças armadas continuarão a cumprir o seu dever na luta contra o Daesh (acrónimo árabe do grupo radical Estado Islâmico) e na defesa de todo o seu território e não se deixarão intimidar pelas tentativas da dita coligação de impedirem de executar o seu dever sagrado".


O vice-ministro russo dos Negócios Estrangeiros, Gennady Gatilov, declarou em Genebra que "toda a ação militar que agrave a situação na Síria influencia o processo político". "E mais ainda quando se trata de ações militares levadas a cabo contra as forças armadas sírias", acrescentou, citado pela agência russa Ria Novosti.


"É absolutamente inaceitável e constitui uma violação da soberania da Síria", declarou o diplomata.

Lusa

  • Principais factos da acusação no caso BPN dados como provados

    País

    O coletivo de juízes responsável pelo julgamento do processo principal do caso BPN interrompeu perto das 13:00 a leitura do acórdão iniciada pelas 10:30. Os principais factos da acusação são dados como provados, mas a leitura deverá demorar algumas horas.

  • Greve na Função Pública vai afetar escolas, saúde e cultura

    País

    A greve nacional convocada para sexta-feira pela Federação Nacional dos Sindicatos da Função Pública (FNSTFPS) deverá afetar as escolas, a área da saúde e ainda da cultura, entre outros serviços, afirmou esta quarta-feira a dirigente sindical, Ana Avoila.

  • Papa pede a Trump para ser pacificador
    1:12
  • Supremo confirma condenação de Messi por fraude fiscal

    Desporto

    O Supremo Tribunal de Justiça espanhol confirma a condenação de Lionel Messi por fraude fiscal. A notícia foi avançada pelo El País. O jogador do Barcelona foi condenado a 21 meses de prisão por três crimes fiscais que lesaram o Estado em 4,1 milhões de euros.

  • Autódromo do Estoril está ilegal há 45 anos

    Desporto

    De acordo com o Público este equipamento desportivo, inaugurado na década de 70, não tem licença de construção nem de utilização. Uma notícia que apanhou de surpresa o executivo camarário de Cascais, liderado por Carlos Carreiras.

  • Seca na Bacia do Sado exige restrições ao uso da água no Alentejo

    País

    A Agência Portuguesa do Ambiente aprovou hoje um conjunto de medidas para gestão dos recursos hídricos, definindo medidas específicas para a bacia hidrográfica do Sado, a única que se encontra em situação de seca. Além da diminuição de regas em hortas e jardins, a APA recomenda o encerramento das fontes decorativas, a proibição de encher piscinas e de lavagem de automóveis.