sicnot

Perfil

Mundo

Irão vota hoje em eleições presidenciais

Reuters Photographer

Os eleitores do Irão estão a votar para escolherem hoje o seu Presidente, nas primeiras eleições presidenciais desde o acordo nuclear de 2015, disputadas entre o moderado Hassan Rohani e o conservador Ebrahim Raissi.

A eleição é vista como um referendo ao acordo nuclear, no qual o Irão aceitou reduzir as atividades nucleares iranianas em troca do levantamento das sanções económicas.

O impacto económico esperado não foi contudo sentido pela população até ao momento, num país onde a inflação ronda os 10% e o desemprego ultrapassa os 12%.Rohani, um clérigo moderado eleito presidente em 2013, conseguiu quebrar o isolamento do país e, apoiado por destacados políticos reformadores, é considerado favorito.

Contra ele concorre o conservador Ebrahim Raissi, diretor de uma organização caritativa com participações em várias empresas e considerado próximo do guia supremo, o 'ayatollah' Ali Khamenei.As presidenciais são disputadas por apenas mais um candidato, o conservador Mostafa Mirsalim, depois das desistências nos últimos dias dos reformadores Mostafa Hashemitaba e Es-Hagh Jahanguiri, que apelaram ao voto em Rohani, e do presidente da câmara de Teerão conservador, Bagher Qhalibaf, que pediu o voto em Raissi.

Os eleitores conservadores são habitualmente mais participativos, pelo que uma elevada participação pode favorecer Rohani. Se nenhum dos candidatos obtiver mais de 50% dos votos, os dois mais votados disputam uma segunda volta dentro de uma semana.Cerca de 56 milhões de eleitores estão convocados para as eleições, 2,5 milhões dos quais votam no estrangeiro.

Lusa

  • Cinco anos depois do incêndio na Serra do Caldeirão
    5:24
  • Destaques económicos que marcaram a semana
    2:03

    Economia

    A semana ficou marcada pela tragédia provocada pelos incêndios no centro do país. No entanto importa olhar para o que se passou noutras áreas e fazer um resumo das notícias relacionadas com a economia. 

  • Martin Schulz ataca Merkel a três meses das legislativas

    Mundo

    O social-democrata alemão Martin Schulz passou este domingo à ofensiva, a três meses das eleições legislativas, ao acusar Angela Merkel de "arrogância" e de sabotar a "democracia", quando as sondagens apontam para uma larga vantagem da chanceler da Alemanha.

  • Martha, a cadela mais feia do mundo
    0:42

    Mundo

    A cadela Martha, de raça mastim napolitano ficou em primeiro lugar na edição anual do concurso que elege os cães mais feios do mundo. A cadela tem três anos, pesa 57 quilos e foi resgatada pela dona quando estava praticamente cega. Acabou por recuperar a visão depois de várias operações. Martha e a dona receberam um prémio de 1.500 dólares e uma viagem a Nova Iorque para marcarem presença em programas de televisão.