sicnot

Perfil

Mundo

Longas filas apontam para elevada participação nas presidenciais iranianas

Reuters Photographer

A primeira metade do dia em que o Irão elege um presidente ficou marcada por uma elevada participação, com longas filas para votar a formarem-se logo na abertura das urnas.

Cerca de 56 milhões de eleitores escolhem hoje um presidente para os próximos quatros anos, com o presidente cessante, o moderado Hassan Rohani, e o conservador Ebrahim Raissi como principais candidatos.

Segundo a agência EFE, longas filas para votar formaram-se desde as primeiras horas da manhã junto de muitas das assembleias de voto da capital, instaladas normalmente em escolas e locais religiosos.

O ato de votar demora algum tempo, uma vez que, segundo a agência France Presse, cada eleitor tem de escrever o nome e o código do candidato presidencial que apoia e os nomes e códigos de 21 membros do conselho municipal, concluindo o voto com uma impressão digital.

No caso da capital, Teerão, há 2.700 candidatos ao conselho municipal.Os códigos estão afixados no exterior das assembleias de voto e alguns eleitores anotam-nos nos telemóveis para facilitar depois o preenchimento do boletim.

Ainda assim, as filas de espera nestas eleições parecem mais longas que as que se formaram nas legislativas de 2016, segundo a mesma agência.

Os eleitores conservadores são habitualmente mais participativos, pelo que uma elevada participação pode favorecer Rohani. Se nenhum dos candidatos obtiver mais de 50% dos votos, os dois mais votados disputam uma segunda volta dentro de uma semana.

Lusa

  • Novas buscas no Universo Espírito Santo

    Queda do BES

    O Ministério Público voltou a fazer buscas no âmbito dos processos do Universo Espírito Santo. A SIC sabe que ontem e hoje os investigadores recolheram provas em diversos locais do continente e também na Madeira, nomeadamente em residências, empresas e entidades bancárias.

    Notícia SIC

  • Visitar a região afetada pelo fogos é uma forma de ajudar na recuperação
    3:07
  • Carvalhal do Sapo tenta recuperar a vida normal após incêndio
    2:33

    País

    As populações das aldeias de Góis tentam voltar à normalidade, ao fim de vários dias rodeadas por um grande dispositivo de operacionais. A repórter Cristina Freitas esteve hoje em Carvalhal do Sapo, onde se realizou mais um funeral de uma das vítimas do incêndio de Pedrógão Grande.

  • Falta de médicos e de ofertas de emprego preocupa habitantes da Guarda
    5:13
  • "Do ponto de vista interno a candidatura do Porto é a melhor" 
    0:50

    País

    António Costa admite que a candidatura da cidade do Porto para receber a Agência Europeia do Medicamento seria a melhor para Portugal. No entanto o primeiro-ministro diz que é preciso avaliar se a candidatura do Porto é a que tem mais hipóteses de ganhar, quando comparada com outras cidades europeias. 

  • Daesh divulga imagens da destruição da mesquita de Mossul
    1:58
  • "Podemos ser atendidos por um médico branco?"
    0:58