sicnot

Perfil

Mundo

Vaticano diz que eleições são única solução para Venezuela

Stringer .

A crise que a Venezuela atravessa está a atingir um nível "verdadeiramente dramático" e a "solução verdadeira" é a realização de eleições, defendeu o secretário de Estado do Vaticano, Pietro Parolin.

"Eu já o disse e repito-o, que neste momento a solução verdadeira é a das eleições: dar ao povo a possibilidade de se expressar como quiser", declarou o cardeal, segundo a Rádio Vaticano.

O secretário de Estado disse que o recurso às urnas significa "voltar a dar a soberania ao povo e permitir-lhe determinar o seu presente e o seu futuro".

"Nós esperamos que seja sempre dada essa possibilidade", acrescentou, quanto à hipótese de o Vaticano oferecer os seus serviços de mediação para superar a situação na Venezuela.

"Porque, caso se abrisse uma [possibilidade] , isso quereria dizer que a situação, em certo sentido, estaria melhor", afirmou Parolin.

"Portanto, resta-nos exprimir a nossa esperança de que isto ocorra, porque aquilo está a converter-se em [algo] verdadeiramente dramático e corre o risco de ser ainda mais dramático", considerou o cardeal.

No passado dia 06 de maio, a Conferência Episcopal da Venezuela informou que o papa Francisco escreveu uma carta aos bispos venezuelanos, instando-os a fazer tudo o que é possível para que se estabeleçam pontes entre o executivo do Presidente, Nicolás Maduro, e os seus opositores, na busca de soluções para a crise nacional.

"Tal como vós, estou convencido de que os grandes problemas da Venezuela podem ser solucionados se houver vontade de estabelecer pontes, de dialogar seriamente e de cumprir com os acordos alcançados. Exorto-vos a continuar a fazer tudo o que seja necessário para que este difícil caminho seja possível", manifestou o papa, nessa carta.

No final de abril, Francisco tinha lançado um apelo ao Governo e à sociedade da Venezuela para que evitem mais violência e pediu "soluções negociadas" e respeito pelos direitos humanos, num país numa "grave crise humanitária".

O líder da Igreja Católica também já tinha defendido que o regresso ao diálogo político entre o Governo e a oposição deve ocorrer mediante "condições muito claras".

As manifestações na Venezuela, a favor e contra o Presidente, Nicolás Maduro, intensificaram-se desde o passado dia 01 de abril, depois de o Supremo Tribunal de Justiça (STJ) divulgar duas sentenças que limitavam a imunidade parlamentar e em que aquele organismo assumia as funções do parlamento.

Entre queixas sobre o aumento da repressão, a oposição manifesta-se na rua também contra a convocatória de uma Assembleia Constituinte, feita a 1 de maio por Nicolás Maduro.

Dados oficiais dão conta de que pelo menos 44 pessoas já morreram desde o início da crise.

Lusa

  • Hospitais públicos à beira da rutura
    2:28
  • OMS inclui dependência dos videojogos na lista de doenças mentais

    Mundo

    A Organização Mundial de Saúde (OMS) incluiu a dependência de videojogos na lista de doenças mentais, uma possibilidade que tinha sido prevista no início do ano e que foi anunciada esta segunda-feira. Este pode ser mais um argumento para os pais limitarem o tempo de acesso dos filhos às consolas, computadores e todos os dispositivos com videojogos.

  • Repitam comigo: Portugal vai ser campeão do Mundo
    4:56
  • "Estou a ser posta porta fora (...) faço o que vocês me disserem"
    2:43
  • "Estamos a plantar fósforos"
    2:09

    Opinião

    O calor regressou esta segunda-feira em força e no terreno estiveram quase 1300 bombeiros a combater 70 fogos por todo o país. Depois da tragédia de Pedrógão Grande, o Presidente da República diz que a consciência do país mudou mas é preciso fazer mais. Já Miguel Sousa Tavares diz que o país está mais preparado para combater os incêndios do que alguma vez esteve. No entanto, o comentador da SIC diz que já foram plantados mais de "2500 hectares de eucaliptos" desde Pedrógão e que enquanto isso acontecer Portugal vai continuar a arder. 

    Miguel Sousa Tavares

  • Rapper XXXTentacion morto em aparente tentativa de roubo

    Cultura

    O rapper norte-americano XXXTentacion, de 20 anos, morreu na noite de segunda-feira depois de ter sido baleado, na Florida, no sudeste dos Estados Unidos. Um dos suspeitos terá disparado e atingido o rapper e, de seguida, dois suspeitos fugiram numa viatura escura. A polícia está a considerar tentativa de roubo.