sicnot

Perfil

Mundo

Rohani reeleito Presidente do Irão 

Sergei Karpukhin/ Reuters

O moderado Hassan Rohani foi reeleito Presidente do Irão por mais quatro anos com 57% dos votos, de acordo com os resultados definitivos das eleições presidenciais realizadas na sexta-feira e hoje anunciados.

O ministro do Interior, Abdolreza Rahmani Fazli, anunciou hoje numa conferência de imprensa que Rohani obteve mais de 23 milhões de votos, enquanto o seu principal rival, o clérigo conservador Ebrahim Raissi, obteve mais de 15 milhões, obtendo 38,5%.


"41,2 milhões de iranianos participaram [na sexta-feira] nas eleições presidenciais", representando uma taxa de participação de 73%, anunciou Abdolreza Rahmani Fazli, em direto, na televisão estatal Irib.


Anteriormente, a Comissão Eleitoral iraniana tinha já anunciado que Hassan Rohani estava à beira de ser reeleito na primeira volta das presidenciais no Irão, quando o escrutínio estava praticamente finalizado.


Ainda antes do anúncio dos primeiros resultados parciais, os dirigentes conservadores tinham reconhecido a vitória de Rohani.


A vitória deverá permitir a este religioso moderado prosseguir a sua política de abertura ao mundo, marcada por um acordo nuclear histórico com as grandes potências, concluído em julho de 2015, durante o seu primeiro mandato.

Lusa

  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23

    País

    A Proteção Civil emitiu um alerta para o tempo frio e seco e pede cuidados redobrados. As temperaturas já começaram a descer, com regiões a registarem valores negativos. No interior, podem chegar aos 5 graus negativos. Até ao Natal o tempo vai manter-se frio, seco e com ausência de chuva.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • PS volta a subir nas intenções de voto e não baixa dos 40%
    2:01
  • Marcelo evita "ideia de que o ano foi todo muito bom"
    3:14

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa disse esta sexta-feira que 2017 teve "o melhor e o pior" e que "é preciso evitar a "ideia que o ano foi todo muito bom". O Presidente da República fez estas declarações depois de António Costa ter dito que a nível económico este "foi um ano particularmente saboroso".