sicnot

Perfil

Mundo

Mais de três mil detidos em 69 dias de protestos contra Maduro

Carlos Garcia Rawlins

Pelo menos 3.106 pessoas foram detidas desde 01 de abril deste ano na Venezuela, na sequência de protestos contra o Governo do Presidente Nicolás Maduro, segundo dados divulgados esta quinta-feira pela ONG Foro Penal Venezuelano (FPV).

Segundo o presidente da FPV, o advogado Alfredo Romero, 370 civis estão a ser submetidos a julgamentos militares e o número de presos políticos subiu de 98 para 308.Através da sua conta no Twitter, aquele responsável precisou que 1.362 das pessoas detidas em 69 dias de protestos continuam presas.

"O regime está a aumentar o número dos presos políticos, para aumentar o seu 'botín' (fichas de negociação), para controlar negociações políticas", frisou.

Hoje, numa audiência pública da Comissão de Direitos Humanos, Alfredo Romero, denunciou vários casos de alegados abusos sexuais por parte de funcionários das forças de segurança contra pessoas detidas em manifestações.

Por outro lado, explicou que o maior número de casos de abusos sexuais e violações de domicílio ocorreu em Los Altos Mirandinos, a sul de Caracas.

Na Venezuela, as manifestações a favor e contra o Presidente Nicolás Maduro intensificaram-se desde 01 de abril último, depois de o Supremo Tribunal de Justiça divulgar dois acórdãos que limitavam a imunidade parlamentar e em que aquele organismo assumia as funções do parlamento.

Entre queixas sobre o aumento da repressão, os opositores manifestam-se ainda contra a convocatória de uma Assembleia Constituinte, feita a 01 de maio último pelo Presidente Nicolás Maduro.

Dados divulgados recentemente pelo ministro da Comunicação e Informação, Ernesto Viegas, dão conta de que pelo menos 82 pessoas já morreram desde abril.No entanto, segundo o Ministério Público, o número de mortos é de 67.

Lusa

  • Presidente da Proteção Civil demitiu-se

    País

    O Presidente da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC), Joaquim Leitão, pediu esta quarta-feira a demissão com efeitos imediatos. A carta de demissão foi enviada para o Ministério da Administração Interna, no entanto, uma vez que a ministra também se demitiu, o documento seguiu para o gabinete do primeiro-ministro, António Costa.

  • Provavelmente o melhor golo da noite de Liga Europa
    1:24
  • Vitória de Guimarães mais longe dos 16 avos de final
    1:48
  • O perfil dos novos ministros
    3:22

    País

    Pedro Siza Vieira e Eduardo Cabrita são os dois novos ministros que tomam posse no próximo sábado. Ambos têm uma particularidade: são amigos de longa data do primeiro-ministro António Costa.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão

  • Fogos na Califórnia provocaram 42 mortos e perdas acima de mil milhões de dólares

    Mundo

    O comissário dos seguros da Califórnia afirmou esta quinta-feira que as perdas provocadas pelos incêndios que dizimaram extensas áreas deste Estado norte-americano excedem os mil milhões de dólares (844 milhões de euros). Estes incêndios, que começaram no condado de Sonoma County, já provocaram a morte a 42 pessoas no mês de outubro.