sicnot

Perfil

Mundo

Ministro brasileiro chamado de golpista durante evento em Paris

Charles Platiau

O ministro das Finanças do Brasil Henrique Meirelles foi chamado esta sexta-feira de golpista antes de discursar no Fórum Internacional Económico para a América Latina e Caribe, que decorre em Paris.

A informação foi divulgada pelo jornal brasileiro Folha de S.Paulo, que disse que o ministro foi chamado ainda de "corrupto" e "mentiroso", e identificou a pessoa que o criticou como uma mulher militante do Partido os Trabalhadores (PT), da oposição ao Governo do Brasil.

A mulher foi retirada do local pela segurança do evento. No momento do incidente, Henrique Meirelles falava no painel "América Latina e Caribe diante dos novos desafios da Globalização".

O Brasil vive um momento de grande turbulência política com o atual chefe de Estado, Michel Temer, a ser investigado por corrupção no Supremo Tribunal Federal (STF) e também como parte envolvida num julgamento do Superior Tribunal Eleitoral (TSE), que pode custar-lhe o mandato.

Lusa

  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23

    País

    A Proteção Civil emitiu um alerta para o tempo frio e seco e pede cuidados redobrados. As temperaturas já começaram a descer, com regiões a registarem valores negativos. No interior, podem chegar aos 5 graus negativos. Até ao Natal o tempo vai manter-se frio, seco e com ausência de chuva.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • PS volta a subir nas intenções de voto e não baixa dos 40%
    2:01
  • Marcelo evita "ideia de que o ano foi todo muito bom"
    3:14

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa disse esta sexta-feira que 2017 teve "o melhor e o pior" e que "é preciso evitar a "ideia que o ano foi todo muito bom". O Presidente da República fez estas declarações depois de António Costa ter dito que a nível económico este "foi um ano particularmente saboroso".