sicnot

Perfil

Mundo

Theresa May fecha acordo com unionistas da Irlanda do Norte para formar governo

Em atualização

Hannah Mckay

A primeira-ministra britânica conseguiu um acordo com o Partido Democrático Unionista, da Irlanda do Norte, para formar governo, após ter perdido a maioria absoluta nas eleições de ontem, avançam vários media. Theresa May vai hoje ao Palácio de Buckingham para apresentar essa solução à rainha.

Última atualização às 10:47

O encontro entre a líder do Partido Conservador e Isabel II está previsto para as 12h30. May vai pedir autorização à rainha para formar governo, mesmo sem ter maioria absoluta, segundo fonte do gabinete.

O Partido Conservador ficou com 318 assentos no Parlamento britânico, perdendo 12 lugares. O Partido Democrático Unionista conquistou 10 assentos e juntos fazem 328, mais dois que os necessários para assegura a maioria.

Declarados 649 dos 650 lugares na Câmara dos Comuns, os "Tories" elegeram 318, menos oito do que os necessários para uma maioria absoluta e menos 12 do que antes das eleições. O Partido Trabalhista adicionou 29 aos que possuía, somando 261 deputados.

O líder do Partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, tinha apelado à demissão de Theresa May e desafiou a primeira-ministra conservadora a dar lugar a um governo trabalhista.

O Partido Nacionalista Escocês conquistou 35 lugares, os Liberais Democratas 12 (+4), o Partido Democrático Unionista (Irlanda do Norte) 10 (+2), o Sinn Féin sete (+3), os nacionalistas galeses do Plaid Cymru quatro (+1), os Verdes um e foi eleito um independente na Irlanda do Norte.

  • Presidente da IPSS "O Sonho" garante que vai demitir-se
    0:57

    País

    A PJ de Setúbal fez esta sexta-feira buscas em três instituições de solidariedade social e em casas particulares ligadas à IPSS "O Sonho", por suspeitas de peculato de uso, fraude na obtenção de subsídios e falsificação de documentos. O presidente da associação nega as suspeitas e diz que está de "consciência tranquila". Florival Cardoso, que é o principal visado na investigação, fala sobre uma "caça às bruxas" e garante que vai demitir-se, porque considera que está a ser cometida uma "enorme injustiça".

  • "Situação humanitária dos civis em Ghouta é aterradora"
    0:49

    Mundo

    O enviado especial da ONU para a Síria lançou esta sexta-feira um novo apelo a um cessar-fogo. O responsável está particularmente preocupado com a situação da população civil e diz que é preciso evitar que se repita em Ghouta o que se passou em Alepo.

  • Instantes de uma noite de futebol europeu
    0:41
  • Não dá mais, Brasil!
    18:00