sicnot

Perfil

Mundo

Soldado afegão mata três militares norte-americanos

Três militares norte-americanos foram mortos quando um soldado abriu fogo contra eles na região oriental do Afeganistão, disse este sábado um oficial afegão.

O porta-voz do governador da província de Nangarhar, Attahullah Khogyani, acrescentou que um outro militar dos Estados Unidos ficaram feridos no ataque, que ocorreu no distrito de Achin.

Segundo esta fonte, o soldado afegão foi morto, depois de ter atingido os norte-americanos.

O distrito de Achin é considerado um dos bastiões do movimento Estado Islâmico no Afeganistão e foi nesta região que, em abril, os Estados Unidos lançaram a GBU-43, conhecida como "a mãe de todas as bombas", provocando cerca de uma centena de baixas no grupo jihadista.

Um porta-voz dos talibãs, Zabihullah Mujahid, reivindicou o ataque contra os norte-americanos através da sua conta na plataforma de mensagens Twitter, dizendo que "um infiltrado" atacou soldados norte-americanos, "matando quatro", ao mesmo tempo que confirmou a morte do autor do atentado.

Não é a primeira vez que este tipo de ataques internos acontece no Afeganistão.

Em março, outro soldado afegão foi morto depois de ter atirado contra forças estrangeiras na base da província de Helmand, ferindo três norte-americanos.

Segundo dados dos Estados Unidos, entre janeiro e novembro de 2016, registaram-se 56 ataques internos, ou seja, de elementos dos grupos de segurança contra os seus companheiros, provocando 151 mortos e 79 feridos.

No Afeganistão, a violência aumentou nos últimos anos, depois do fim da missão de combate da NATO, que continua no país para assistência e capacitação das tropas afegãs, com 13.000 soldados, entre os quais os Estados Unidos preveem manter 8.400 este ano.

O Governo afegão controla somente 57% do território, segundo o inspetor geral especial para a reconstrução do Afeganistão, que é dos Estados Unidos.

Lusa

  • Novo Banco vai reestruturar dívida de Luís Filipe Vieira
    1:22

    Desporto

    O Novo Banco vai reestruturar parte da dívida da empresa de Luís Filipe Vieira, que ronda os 400 milhões de euros. Parte dos ativos da empresa foram transferidos para um fundo para serem rentabilizados no prazo de cinco anos. Esse fundo está a ser gerido pelo vice-presidente do Benfica.

  • Dono de fábrica que ardeu na Anadia diz que produção não vai ser afetada
    2:04
  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Tragédia em Vila Nova da Rainha aconteceu há uma semana
    7:18
  • Doze meses de polémicas, ameaças e promessas
    3:52